Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Gestores do Banco Santos Neves são presos pela Polícia Federal


20/04/2017 às 13:14
A Justiça Federal determinou o início do cumprimento da pena de três gestores do Banco Santos Neves, condenados pelo crime de gestão fraudulenta de instituição financeira. Luiz Renato Tommasi dos Santos Neves, José Augusto dos Santos Neves e Carlos Guilherme Lima foram presos pela Polícia Federal nessa quarta-feira (19). Eles devem cumprir penas que variam de cinco até nove anos de prisão. A forma de execução das penas será decidida ainda em audiência de custódia.
 
Os administradores foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) em 2002 pelas irregularidades à frente do Banco Santos Neves. No ano de 2001, o banco foi liquidado pelo Banco Central após a descoberta de irregularidades em empréstimos. As investigações revelaram que os administradores da instituição teriam sido responsáveis pela concessão e renovação de empréstimos a clientes com “excesso de contratação de risco e potencialmente inadimplente”, o que teria levado o banco à falência. A estimativa é de que as dívidas provocadas pela instituição cheguem a R$ 50 milhões.
 
Por conta disso, os ex-controladores do banco foram condenados pela Justiça Federal a penas que variavam de 27 a 34 anos de prisão. O caso voltou a ser analisado pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) e pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que reduziu a pena de Carlos Guilherme para nove anos e um mês de reclusão, em regime fechado, e para Luiz Renato e José Augusto para cinco anos de detenção, em regime semiaberto.  Eles foram encaminhados para o Centro de Triagem de Viana.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Descompasso

Hartung priorizou tanto lotear a gestão com quadros políticos, que os embates ocorrem na contramão de sua própria estratégia. Rodney Miranda que o diga...

OPINIÃO
Editorial
Esgoto veio à tona
Manietada pelo governo, CPI para investigar Cesan se torna obrigatória após denúncias envolvendo a companhia
Piero Ruschi
O desmanche do Museu Mello Leitão
Um ato de desrespeito à população que foi camuflado e conta com o apoio da própria diretoria e sua associação de amigos
Renata Oliveira
Vai liberar?
Rodrigo Janot pode criar um precedente muito ruim para a política brasileira ao anistiar quem recebeu o “caixa dois do bem”
Caetano Roque
Desmonte em curso
Enquanto o movimento sindical dorme , o capital segue a passos largos a retirada de direitas
Nerter Samora
#SomosTodosBaianinho
Causa espécie um encontro às portas fechadas entre o governo e parte do empresariado capixaba logo após a “delação do fim do mundo”
Geraldo Hasse
O despudor do poder
O marqueteiro-mór pagou multa de R$ 30 milhões à Justiça, deu depoimento e saiu rindo
JR Mignone
Inquietudes políticas
O ''Fica, temer'' de Gaspari e a pesquisa que confirma a memória curta do eleitor
Caetano Roque
Greve na rua
É hora de o trabalhador dar a resposta as ações antidemocrática do governo golpista
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna, em transição
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Nossa Terra, nossa gente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

CPI da Odebrecht quer investigar contratos de empreiteiras com setor público

Descompasso

Depois das delações, Magno Malta se descola de Ricardo Ferraço

Sindicato quer que Nestlé preste esclarecimentos sobre possível venda da marca Serenata de Amor

Assembleia barra projeto que acaba com exclusividade da Cesan na região metropolitana