Seculo

 

Militantes fazem abaixo-assinado contra recontagem de votos no PT


21/04/2017 às 19:25

Começou  circular nas redes sociais um abaixo-assinado, de autoria da militância do PT capixaba, em repúdio à decisão da executiva do partido, da última terça-feira (18), que cassou 321 votos – 298 da chapa deles da chapa  “Pra voltar a sonhar”, encabeçada pelo deputado Givaldo Vieira. A chapa de Givaldo tinha larga vantagem na disputa, e a vitória era dada como certa.

Chapa de Givaldo vai recorrer à nacional por recontagem de votos

Com manobra interna, Executiva do PT não reconhece vitória da chapa de Givaldo

A recontagem dos votos não repercutiu bem nem dentro, nem fora do partido. O processo avaliou questões burocráticas e os defensores da recontagem apontam irregularidades, mas a forma atropelada como aconteceu a decisão, deixou transparecer a ideia de que houve uma manobra para beneficiar os grupos do deputado estadual, José Carlos Nunes, que ficou em segundo lugar na votação, e do ex-prefeito João Carlos Coser, que ficou em terceiro lugar.

Coser e Nunes sempre foram aliados e tinham o controle do partido. O resultado da eleição dava a Givaldo a maioria dos votos, com a recontagem, a união de Coser e Nunes, que já era prevista nos meios políticos, garante que eles superem os votos da chapa de Givaldo.

No texto que acompanha o abaixo-assinado, os proponentes afirmam que a decisão foi tomada sem permitir o direito de defesa dos dirigentes municipais acusados de cometerem irregularidades no PED 2017 e sequer de analisar os recursos por eles apresentados.

“Esta atitude confirma o distanciamento e o desrespeito para com a base do PT, que luta cotidianamente pela sua construção. Mais uma vez esses dirigentes estaduais não aceitaram o clamor por mudanças no partido e fizeram uma manobra já amplamente denunciada na imprensa capixaba. Queremos autonomia para o PT, queremos transparência, queremos comprometimento com a derrubada do golpe e queremos nos afastar dos golpistas aninhados no governo Paulo Hartung”, diz o abaixo-assinado.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesa aberta

Sergio Majeski não deve definir, agora, seu destino partidário. Mas já tem duas certezas: não fica no PSDB, nem aceita compor numa vice em chapa majoritária

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Com festa no Palácio Anchieta, governador sanciona lei de socorro aos municípios

Militares do Estado contestam governo Hartung em ADI protocolada no Supremo

Os pequenos se movem

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018

Greve vai parar ônibus da Grande Vitória na terça-feira, anuncia sindicato