Seculo

 

Cesan assinou contrato milionário com Odebrecht em 2008


21/04/2017 às 20:02
As passagens pela Odebrecht do atual diretor da Cesan, Pablo Ferraço Andreão, e de um de seus antecessores, Paulo Ruy Carnelli, vêm sendo bastante criticada nos meios políticos e sindicais, desde que as delações de ex-executivos da empreiteira envolveram lideranças políticas do Estado no esquema de caixa 2. Pablo Ferraço foi diretor da divisão ambiental da empresa; Canelli, conselheiro. 
 
A propósito, à parte das delações da Odebrecht, o nome de Carnelli também é alvo de uma denúncia do Ministério Público Estadual (PMDB), que traz à tona a relação suspeita da Cesan com outra empreiteira, a Delta Construções S/A.
 
Se hoje o nome Odebrecht causa repulsa nos meios políticos, num passado recente, os projetos formados com a empreiteira eram comemorados como grandes conquistas pelo governador Paulo Hartung (PMDB).
 
Em 2008, a Companhia Espírito-Santense de Saneamento (Cesan) firmou um contrato milionário com a empreiteira para  obras de esgotamento sanitário nos municípios da Grande Vitória. À época, o contrato foi considerado o maior que a Cesan já assinara até então.
 
O então secretário estadual de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano, Paulo Ruy Valim Carnelli, durante a solenidade de assinatura do contrato com Odebrecht, na Residência Oficial, na Praia da Costa, em Vila Velha, anunciou a aprovação de um financiamento junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para as novas obras. Com isso, festejou Carnelli, à ocasião, “o investimento total em saneamento chegará a R$ 760 milhões até 2011. O contrato assinado hoje, no valor total de R$ 240,4 milhões, para obras de esgotamento sanitário vão beneficiar diretamente cerca de 210 mil  habitantes.
 
O contrato foi anunciado com pompa no site da própria Cesan, com fotos das autoridades para registrar o momento histórico. Dos R$ 240,4 milhões, R$ 121,2 milhões viriam de recursos do Banco Mundial (Bird) e R$ 119,2 milhões de contrapartida da companhia. Esse montante correspondia ao pacote de obras mais significativo do Programa Águas Limpas, dentro dos mais de R$ 700 milhões previstos para serem aplicados em saneamento no Estado até 2010, num investimento histórico na área.
 
À época da celebração do contrato, o presidente da Cesan era Ricardo Maximiliano Goldschmidt, que ficaria à frente da companhia por menos de dois anos. Em outubro de 2009, Goldschmidt passaria o bastão para Carnelli.
 
Homem de confiança do governador, Carnelli voltaria para acompanhar os novos contratos assinados com a Odebrecht. Sob sua gestão à frente da Cesan, como publicado nessa quinta-feira (21) pelo portal de notícias G1, Carnelli aparece envolvido num esquema que teria causado prejuízo de R$ 8,27 milhões à companhia. 
 
Os fatos teriam ocorridos, segundo a denúncia do MPES, entre 2008 e 2013. Até abril de 2003, a Cesan esteve sob o comando de Carnelli, que saiu para assumir a Secretaria de Transportes e Obras Públicas. Ele retornaria em outubro de 2009 para substituir Goldschmidt, que seria mantido na empresa na Diretoria de Relações com o Cliente. Goldschmidt é um dos investigados do MPES ao lado de outros diretores da Cesan.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesa aberta

Sergio Majeski não deve definir, agora, seu destino partidário. Mas já tem duas certezas: não fica no PSDB, nem aceita compor numa vice em chapa majoritária

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Com festa no Palácio Anchieta, governador sanciona lei de socorro aos municípios

Militares do Estado contestam governo Hartung em ADI protocolada no Supremo

Os pequenos se movem

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018

Greve vai parar ônibus da Grande Vitória na terça-feira, anuncia sindicato