Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Município de Vitória é proibido de usar taxa pública para iluminar eventos de Carnaval


21/04/2017 às 20:47
O plenário do Tribunal de Contas do Estado (TCE) julgou procedente uma representação em face da Prefeitura de Vitória por desvio de finalidade no uso da contribuição para Custeio dos Serviços de Iluminação Pública (Cosip), que é descontada de todos os contribuintes, nos festejos de Carnaval nos anos de 2014 e 2015. A Corte entendeu a prática como irregular e determinou que a Prefeitura não faça mais uso dos recursos com essa finalidade. Os ex-secretários municipais de Infraestrutura, Max da Mata (PDT) – vereador licenciado e atual secretário estadual de Esportes – e José Eduardo de Souza Oliveira foram multados em R$ 5 mil cada.

A denúncia narrou irregularidades na decisão da administração em utilizar os recursos da Cosip para o reforço na iluminação pública das festividades, no Sambão do Povo e na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Cidade. A área técnica do TCE apontou que o recurso deveria ser investido em benefício de todos os munícipes e não apenas dos pagantes do evento. A defesa do ex-secretário José Eduardo alegou que a iluminação extra também contemplou o entorno do Sambão, bem como vias de uso comum. Já o vereador licenciado afirmou que não foram apontadas irregularidades em licitações semelhantes nos anos anteriores. Ambos negaram a existência de má-fé na prática.

No entanto, o conselheiro-relator Rodrigo Chamoun avaliou que o tipo de iluminação na região próxima aos eventos de Carnaval “não se enquadra no conceito de iluminação pública universal e indivisível”, portanto, não podendo ser custeada pela Cosip. “Neste cenário, importa salientar que a contratação ora analisada não se restringe ao pagamento de equipamentos, mas também de mão-de-obra de infraestrutura para instalação e, acaso  reaproveitados, de retirada dos equipamentos”, pontuou.

Foi determinado ainda que a Prefeitura de Vitória promova até o final do exercício financeiro deste ano, a transferência à conta específica da COSIP, dos valores dispendidos no pagamento dos serviços e dos materiais direcionados à iluminação do Sambão do Povo e entornos, relativamente aos Contratos nº 041/2014 e 001/2015

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Descompasso

Hartung priorizou tanto lotear a gestão com quadros políticos, que os embates ocorrem na contramão de sua própria estratégia. Rodney Miranda que o diga...

OPINIÃO
Editorial
Esgoto veio à tona
Manietada pelo governo, CPI para investigar Cesan se torna obrigatória após denúncias envolvendo a companhia
Piero Ruschi
O desmanche do Museu Mello Leitão
Um ato de desrespeito à população que foi camuflado e conta com o apoio da própria diretoria e sua associação de amigos
Renata Oliveira
Vai liberar?
Rodrigo Janot pode criar um precedente muito ruim para a política brasileira ao anistiar quem recebeu o “caixa dois do bem”
Caetano Roque
Desmonte em curso
Enquanto o movimento sindical dorme , o capital segue a passos largos a retirada de direitas
Nerter Samora
#SomosTodosBaianinho
Causa espécie um encontro às portas fechadas entre o governo e parte do empresariado capixaba logo após a “delação do fim do mundo”
Geraldo Hasse
O despudor do poder
O marqueteiro-mór pagou multa de R$ 30 milhões à Justiça, deu depoimento e saiu rindo
JR Mignone
Inquietudes políticas
O ''Fica, temer'' de Gaspari e a pesquisa que confirma a memória curta do eleitor
Caetano Roque
Greve na rua
É hora de o trabalhador dar a resposta as ações antidemocrática do governo golpista
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna, em transição
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Nossa Terra, nossa gente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

CPI da Odebrecht quer investigar contratos de empreiteiras com setor público

Descompasso

Depois das delações, Magno Malta se descola de Ricardo Ferraço

Sindicato quer que Nestlé preste esclarecimentos sobre possível venda da marca Serenata de Amor

Assembleia barra projeto que acaba com exclusividade da Cesan na região metropolitana