Seculo

 

Procuradoria da República vai pedir abertura de inquérito contra Hartung


17/05/2017 às 10:43
A Procuradoria-Geral da República (PGR) deve mandar ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), nos próximos dias, uma lista de pedidos de abertura de investigação de nove governadores delatados por ex-executivos da Odebrecht. Entre os investigados está o governador Paulo Hartung (PMDB), acusado pelo ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Júnior, o BJ, de ter pedido e recebido cerca de R$ 1 milhão para as campanhas de aliados em 2010 e 2012.
 
Segundo o jornal Folha de S. Paulo, junto com os pedidos de abertura de inquérito serão solicitadas diligências a serem executadas pela Polícia Federal. A Folha ouviu ainda magistrados do STJ que relataram ao jornal que podem ocorrer, ao longo da investigação, até mesmo pedidos de prisão temporária ou de suspensão de mandatos envolvendo os governadores citados, isso porque a Constituição não exige que eles sejam detidos em flagrante, como é estabelecido para parlamentares, para que possam ser presos.
 
Os pedidos de abertura de inquérito enviados pela PGR ao STJ serão acompanhados da solicitação de diligências, quebras de sigilo e oitivas dos investigados e testemunhas. Além de Hartung, foram denunciados os governadores Beto Richa (PSDB-PR), Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ), Fernando Pimentel (PT-MG), Flávio Dino (PC do B-MA), Geraldo Alckmin (PSDB-SP), Marcelo Miranda (PMDB-TO), Raimundo Colombo (PSD-SC) e Marconi Perillo (PSDB-GO).
 
Em sua defesa, Hartung vem sustentando que a denúncia não faz sentido porque ele não disputou as eleições de 2010 e 2012, mas a denúncia de Benedicto Júnior aponta a movimentação do governador em captar recursos para os aliados que disputaram as duas eleições em questão. Em 2010, Hartung apoiou a candidatura de seu sucessor Renato Casagrande (PSB) e do senador Ricardo Ferraço (PSDB), além de deputados federais e estaduais ligados da base aliada.
 
Em 2012, Hartung também apoiou candidaturas a prefeito no Estado, com destaque para o candidato Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB), que enfrentou e foi derrotado por Luciano Rezende (PPS), na disputa pela prefeitura de Vitória. Ambos foram também citados como recebedores de doações de campanha da Odebrecht.
 
Ainda segundo a delação de BJ, em relação a Hartung, os encontros com o governador aconteceram em seu escritório, na Avenida Nossa Senhora da Penha, em Vitória, onde funcionava a empresa de consultoria que o peemedebista comandou depois que deixou o governo em 2011.
 
O delator afirmou ainda que consultava Hartung sobre investimentos da Odebrecht no Estado, dando a atender que prestava uma espécie de consultoria informal à empreiteira. Quanto aos recursos, o delator afirmou que eles teriam sido negociados, a mando de Hartung, por Neivaldo Bragato, em 2010 e Roberto Carneiro, em 2012. Os recursos teriam sido repassados aos operadores de Hartung por meio de “caixa 2”.
 
Segundo a Folha de S. Paulo, os ministros do STJ aguardam a lista desde a semana passada, quando foram avisados que ela estava sendo finalizada. A tramitação dos processos avançou depois que o tribunal entendeu que não é necessária a permissão das Assembleias Legislativas para abrir investigação envolvendo governadores.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Menino do Rio

Melhor para os fluminenses/cariocas, só se Hartung levar seu time todo de ‘craques’ para salvar o Rio de Janeiro. Receita de sucesso, mas pode chamar também de cilada...

OPINIÃO
Editorial
Vendedor de ilusões
Em recente entrevista, Hartung alertou sobre o risco dos ''vendedores de terrenos na Lua''. Estaria o governador fazendo uma autoreflexão?
Renata Oliveira
Fica Majeski?
O resultado da eleição interna do PSDB pode ser fundamental para o destino do deputado Sergio Majeski
Caetano Roque
Movimento oculto
Em vez de enfrentar a luta, alguns sindicatos evitam se expor para não sofrer críticas
Geraldo Hasse
Recuerdos de Buenos Aires
''A leitura é o melhor exercício para a memória'', afirma o psiquiatra argentino Ivan Izquierdo
JR Mignone
Qual rádio ouviria hoje?
Sinceramente, não saberia explicar que tipo de rádio eu ouviria hoje, isto é, que me motivaria a ligar o botão para ouvi-la: uma de notícia ou uma só de música selecionada
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Força Nacional e o marketing de uma falsa segurança
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Novo comando estadual do PSDB vai definir se partido segue no projeto de Hartung ou lança candidatura própria

Tribunal de Justiça vai decidir sobre pedido de prisão do prefeito de Irupi

Conselho de Educação da Ufes repudia parceria entre governo e Ensina Brasil

Credores vão decidir sobre fim de recuperação judicial das lojas Eletrocity

Menino do Rio