Seculo

 

Justiça absolve ex-prefeito de Vargem Alta em ação por crime de responsabilidade


17/05/2017 às 19:11
O juiz da Vara Única de Vargem Alta (região sul), José Pedro de Souza Neto, absolveu o ex-prefeito do município, Elieser Rabello (PMDB), e mais três pessoas de acusação de crime de responsabilidade. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPES), que apontava o suposto desvio de máquinas públicas para utilização em propriedades privadas. No entanto, o próprio órgão ministerial pediu a absolvição dos réus em decorrência de uma ação de improbidade sobre os mesmos fatos.

Na sentença publicada nesta quarta-feira (17), o magistrado lembrou a independência das esferas judiciais – criminal e administrativa –, mas citou a existência de exceções, nos casos de absolvições por inexistência de fato ou negativa de autoria. “Considerando que a presente ação foi ajuizada em razão dos fatos narrados na denúncia, a ausência de prova contundente de que houve a ofensa a qualquer princípio da administração pública, sobretudo porque existe legislação e convênio que autorizam tais práticas, julgo improcedente a pretensão punitiva estatal”, afirmou.

Na denúncia inicial (0000266-14.2014.8.08.0061), o MPES apontava que o então prefeito e o secretário de Agricultura teriam desviado em proveito alheio, máquinas pertencentes ao Município de Vargem Alta, com objetivo de prestar serviços nas propriedades particulares de outros dois denunciados, um deles vereador do município. A ação citou ainda o uso das máquinas em propriedades no município vizinho de Rio Novo do Sul.

Em sua defesa, o ex-prefeito Elieser Rabello afirmou que a prática está em consonância com a legislação e até o uso em propriedades em outros municípios. Para isso citou a existência de um termo de cooperação técnica entre as Prefeituras de Vargem Alta e Rio Novo do Sul. Na fase de alegações finais da ação, o MPES requereu o arquivamento do feito, reconhecendo que os equipamentos foram utilizados em observância à legislação municipal e, também, ao convênio celebrado entre os dois municípios.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Espelho democrático

PH, com certeza, vai jogar pra frente dúvida sobre candidatura à reeleição. Mas não o vejo fora da disputa e sem mandato

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
JR Mignone
Enganosos
Fazendo uma comparação corajosa e dispersa, tanto as eleições do Brasil quanto a Copa do Mundo terão muita surpresas e varias decepções
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Espelho democrático

Condenados por tortura continuam trabalhando no sistema penitenciário capixaba

Junta de Impugnação Fiscal do Meio Ambiente de Vitória tem novo presidente em menos de quatro meses

Professora cobra do MEC cumprimento da lei de ensino de cultura afro-brasileira

Gestão do prefeito Chicão na Saúde é denunciada pelo Ministério Público