Seculo

 

Ex-prefeito de Ibitirama é absolvido de acusação de improbidade


11/08/2017 às 12:27
A juíza da Vara Única de Ibitirama (região Caparaó), Graciene Pereira Pinto, julgou improcedente uma ação de improbidade contra o ex-prefeito do município, Javan de Oliveira Santos. Ele foi acusado pelo Ministério Público Estadual (MPES) da abertura de créditos suplementares acima do permitido em lei. No entanto, a togada não vislumbrou a ocorrência de dolo (culpa). Essa foi a segunda vez que o político foi absolvido neste processo, ambas as vezes na primeira instância.

A primeira sentença, prolatada em abril de 2015, acabou sendo anulada pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJES) em maio do ano passado. Naquela ocasião, o juízo considerou que o prefeito teria seguido as normas municipais, mas os desembargadores viram a necessidade de reapreciação do caso. Neste novo exame, a nova juíza chegou à mesma conclusão, absolvendo o ex-prefeito da acusação de improbidade.

“Assim, na espécie dos autos, registra-se que, embora tenha o prefeito municipal realizado a abertura e remanejamento de despesas de acordo com a Lei Municipal, tal ato, por si só, não importa ofensa aos princípios administrativos, uma vez que agiu amparado pela própria Lei Municipal. Nesse ínterim, não restou comprovado o dolo do agente público, razão pela qual, in casu, mostra-se improcedente o pedido inicial”, destacou Graciene Pinto.

Na denúncia inicial (0000584-06.2014.8.08.0058), o Ministério Público afirmou que Javan teria realizado a abertura de créditos suplementares no exercício de 2011 além do limite de 20% do total do orçamento. A defesa do prefeito alegou que a lei daquele ano foi omissa acerca da limitação de abertura e remanejamento de despesas. O MPES também arguiu a suposta inconstitucionalidade da norma, porém, a juíza citou precendentes em leis federais que permitem o remanejamento de recursos do orçamento aprovado.

A decisão foi assinada no dia 19 de junho, mas só foi publicada esta semana. A promotoria ainda pode recorrer da sentença.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Tapa na cara'

Na semana do Dia do Professor, os homenageados da Assembleia: Hartung, Haroldo Rocha e a vitrine Escola Viva. É mole ou quer mais?

OPINIÃO
Editorial
Ajuste fiscal, a 'isca' do negócio
Hartung tem feito publicidade nacional para mostrar que o ES é o novo paraíso para investidores. Esconde, porém, os problemas internos, que não são poucos
Renata Oliveira
Hartung fica?
O tempo passa e nada de Hartung deixar o PMDB. Já tem gente apostando que ele não sai do partido
JR Mignone
Meio a meio
Seria esta a solução para ter uma programação de rádio com a participação de emissora de fora?
Caetano Roque
Do limão, uma limonada
É hora de o movimento sindical exercitar sua capacidade de mobilização nas negociações com as empresas
Geraldo Hasse
Está começando o ano 2018
Tudo indica que o único evento positivo do próximo ano será a Copa do Mundo
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Algo de novo no ar
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Tapa na cara'

Ricardo Ferraço tenta construir imagem de ficha limpa e prega tolerância zero à corrupção

Está começando o ano 2018

Mais veneno para o Espírito Santo

Editora Cousa completa oito anos com festa no Centro de Vitória