Seculo

 

Pessoas com deficiência estudam ação na Justiça para garantir Porta a Porta


11/08/2017 às 13:31
O presidente do Movimento Organizado de Valorização da Acessibilidade (Mova), José Olympio Rangel Barreto, estuda ingressar na Justiça contra a falta de garantia à manutenção do Porta a Porta, programa municipal de transporte de pessoas com deficiência. Na última terça-feira (8), a Câmara de Vitória aprovou em segundo turno o projeto de Emenda à Lei Orgânica, de autoria do prefeito Luciano Rezende (PPS), que autoriza a integração do transporte municipal ao Sistema Transcol. 
O projeto, no entanto, não garante a manutenção do Porta a Porta. “Nós vamos esperar as coisas acontecerem e tomar as providências judiciais cabíveis para que não ocorra essa integração”, explica Olympio, que é autor de uma ação na Justiça que culminou com sentença, proferida em maio, contra a Prefeitura de Vitória determinando a efetivação de melhorias no programa. 
 
Entre elas, incremento de oito veículos à frota e agendamento mínimo de dois dias, incluindo dias úteis, feriados, pontos facultativos e finais de semana. A prefeitura, contudo, ignora a decisão. Hoje cerca de 400 pessoas estão na fila de espera para a utilização do Porta a Porta. A prefeitura se esquiva de melhorar o programa e sustenta a integração com o Transcol com o mesmo argumento: a crise do sistema municipal, no entanto ainda não comprovada em números ou dados.
 
Olympio rejeita a argumentação dos vereadores da base do prefeito Luciano Rezende segundo a qual o Porta a Porta não será extinto se efetivada a integração. 
 
“No tocante à parte de acessibilidade, não confiamos em ninguém, pois com um decreto de 2004 [que estabelece normas e critérios para a promoção da acessibilidade] para que tudo fosse plenamente acessível, é nítido e notório que a sociedade não quer a inclusão da pessoa com deficiência. Nem a Câmara de Vitória é acessível. Se os próprios vereadores não fazem o dever de casa, como acham que vão garantir o dever de casa de companheiros e de outros?”, dispara.
 
A perspectiva do presidente do Mova é pessimista em relação ao Porta a Porta caso a integração seja consumada. “Não acredito que o governo do Estado vai querer pegar esse pepino”, diz. Por outro lado, ele na justiça e promete galar até as últimas instâncias judiciais para defender o programa. 
 
“Temos várias leis a nosso favor, dentre tantas de pessoa com deficiência. Ainda temos o Código de Defesa do Consumidor e acima de tudo a nossa Convenção Internacional com peso de Emenda Constitucional. Acredito que nem o Supremo Tribunal Federal nos condena. Pelo contrário, nos apoiará caso necessitemos de ir às ultimas instâncias judiciais”.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesa aberta

Sergio Majeski não deve definir, agora, seu destino partidário. Mas já tem duas certezas: não fica no PSDB, nem aceita compor numa vice em chapa majoritária

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Com festa no Palácio Anchieta, governador sanciona lei de socorro aos municípios

Militares do Estado contestam governo Hartung em ADI protocolada no Supremo

Os pequenos se movem

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018

Greve vai parar ônibus da Grande Vitória na terça-feira, anuncia sindicato