Seculo

 

Sindipúblicos ingressa com Adin contra dispositivos do Bônus Desempenho da Sedu


12/08/2017 às 18:49
O Sindicato dos Servidores Públicos do Estado (Sindipúblicos-ES) ingressou com ação direta de inconstitucionalidade (Adin) no Tribunal de Justiça do Estado (TJES) contra dispositivos da lei que institui o Bônus Desempenho no âmbito da Secretaria de Estado da Educação (Sedu), no sentido de garantir que o benefício possa ser ofertado a mulheres gestantes, servidores afastados para tratamento de saúde, bem como outros afastamentos legais.

O bônus, que prometia complementar a renda de professores, acabou não se tornando acessível à maioria deles, já que a Sedu impõe limites que tornam o alcance virtualmente impossível.

A entidade considera a política de concessão do bônus discriminatória, prejudicando inúmeros profissionais da educação. Isso ocorre em virtude de as regras estabelecerem que os profissionais do magistério estadual devem ter trabalhado pelo menos dois terços dos dias do período de avaliação – referente ao período letivo– sem registro de faltas, mesmo que estas sejam justificadas com respaldo legal.

No entanto, o Sindipúblicos aponta que essas restrições não estão amparadas constitucionalmente e nas demais leis que regem as relações trabalhistas.

A promessa do governo era de que os professores que preenchessem todos os requisitos poderiam alcançar até R$ 7 mil em bônus. No entanto, nenhum deles conseguiu preencher todos os requisitos para ter direito ao valor total.

Para ter direito ao bônus total, o professor tem de ter doutorado, trabalhar nos três turnos e não ter nenhuma falta. Até mesmo os abonos a que os servidores têm direito – são seis por ano – são descontados para efeito do Bônus Desempenho.

Os professores que precisam se ausentar de sala de aula para tratamento médico também têm descontos na obtenção dos bônus, assim como aqueles que, por exemplo, têm direito à folga, por terem sido convocado pela Justiça Eleitoral para trabalhar em eleições.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesa aberta

Sergio Majeski não deve definir, agora, seu destino partidário. Mas já tem duas certezas: não fica no PSDB, nem aceita compor numa vice em chapa majoritária

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Com festa no Palácio Anchieta, governador sanciona lei de socorro aos municípios

Militares do Estado contestam governo Hartung em ADI protocolada no Supremo

Os pequenos se movem

Vereador de Vitória aponta manobra para reduzir R$ 12 milhões da Educação em 2018

Greve vai parar ônibus da Grande Vitória na terça-feira, anuncia sindicato