Seculo

 

Prefeitura terá que se explicar ao MPF porque deixou lotear as praias com barracas


11/01/2018 às 16:30
A omissão da prefeitura de Guarapari, que permitiu o loteamento das praias por pessoas que instalam barracas nestes locais, pode acabar. O município responderá a inquérito civil reaberto pelo Ministério Público Federal (MPF/ES). 
 
O órgão informou nesta quinta-feira (11) que deu prazo de cinco dias para a prefeitura de Guarapari informar as providências que vem adotando para coibir as práticas de “loteamento” das praias do município, com a utilização de estruturas de barracas. 
 
O MPF/ES se reporta às notícias veiculadas recentemente sobre a utilização abusiva dos espaços públicos nas praias da cidade, principalmente nas areias das praias do Morro, das Castanheiras, de Peracanga e das Virtudes, para informar que “reabriu um procedimento sobre o caso e instaurou um inquérito civil para acompanhá-lo,nessa quarta-feira (10)”. 
 
Lembra o MPF/ES que acompanha a situação do loteamento das praias de Guarapari desde janeiro de 2017. Na época, foi instaurado um procedimento para averiguar a questão, mas ele acabou sendo arquivado em julho, já que no decorrer da apuração a prefeitura informou que as tendas e barracas haviam sido retiradas da Praia das Virtudes e que, portanto, a situação denunciada não persistia mais. 
 
Ainda no procedimento, a Prefeitura de Guarapari informou ao MPF que determinou a adoção de fiscalizações contínuas na região, pela Secretaria de Fiscalização, principalmente nos períodos de grande movimento, com objetivo de evitar novas ocupações indevidas que acarretem o cerceamento do uso e gozo das áreas públicas pelos munícipes e visitantes. O posicionamento adotado pelos órgãos municipais, até aquele momento, indicava que o problema havia sido sanado. 
 
O inquérito civil reaberto pelo MPF/ES em relação as barracas de praia é o de nº 1.17.000.000152/2017-14.  

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

De demolidor a demolido

Até outro dia, o MDB era o partido mais importante do Estado, mas entrou em agonia com a interferência de PH

OPINIÃO
Editorial
2017 que se arrasta
Manifestação da procuradora-geral da República não poupa críticas ao governo Hartung na condução da greve da PM do ano passado
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

Quarenta e um presos morreram entre março de 2015 e fevereiro de 2018 no Estado

Etapa Vitória

Ato pela legalização do aborto será realizado na próxima segunda-feira em Vitória

Pommercine: uma mostra de filmes pomeranos no Espírito Santo

Parques de Vitória recebem R$ 13 milhões de compensações ambientais