Seculo

 

Loteamento popular em Baixo Guandu ameaçado pela Justiça


12/01/2018 às 16:46
Um loteamento de 400 casas populares está ameaçado por uma decisão da 1ª Vara Cível de Baixo Guandu, que deferiu o pedido de reintegração de posse pleiteado por Joelma Furtado de Mello, uma parente do ex-caseiro da fazenda, já falecido, que requereu usucapião.

A área, de 100 mil m², no bairro Valparaíso, está ocupada por 200 famílias sem-teto, que aguardam a regularização do loteamento. A Prefeitura já desapropriou e pagou pela área em 2014.

A Defensoria Pública Municipal trabalha para reverter a decisão judicial, que foi publicada nessa quinta-feira (11). No despacho é determinado prazo de cinco dias para a desocupação pelas famílias, sob ameaça de despejo com apoio da Polícia Militar, e multa de R$ 500,00 por pessoa.

O prefeito Neto Barros (PCdoB) esclarece que o antigo proprietário da fazenda era dono de um curtume que funcionava no local. Após a desapropriação, pela Prefeitura, forças políticas locais convenceram o ex-caseiro a entrar com pedido ilegítimo de usucapião, para inviabilizar o loteamento popular.

Após a morte do requerente, a família do caseiro prosseguiu com o pleito e a população, percebendo a manobra, decidiu ocupar. “A prefeitura espera que tudo se resolva para poder regularizar o loteamento tão esperado pela população”, diz Neto Barros.

O processo tramita na Justiça Estadual sob o número 0000014-37.2018.8.08.0007. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

'Tem boi na linha'

Metendo-se no meio da disputa caseira entre Hartung e Casagrande, Rose de Freitas tem realmente alguma chance?

OPINIÃO
Editorial
As novas roupagens da censura
Os resquícios da ditadura militar ainda assombram a liberdade de expressão no País, estendendo seus tentáculos para o trabalho da imprensa
Erfen Santos
Sugestão Netflix – um filme necessário
Indicado ao Oscar, Strong Island supera a maioria dos documentários, por mesclar a experiência familiar com a crítica social
Roberto Junquilho
Renovar o quê?
Os ''novos'' na política mantêm velhos conceitos e se agarram em grandes corporações empresariais
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Eliza Bartolozzi Ferreira
A raposa cuidando do galinheiro
Na lógica do custo-benefício, governo Hartung entende que deve ofertar um ensino pasteurizado, de baixo custo e restrito a quem podem estudar em período integral
JR Mignone
A cobertura da Copa
No mês que antecedeu a Copa e no mês do desenrolar da competição, a Globo abusou da cobertura a ponto de cansar até o telespectador que gosta de esportes
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre a salada e o vinho
MAIS LIDAS

Atlas da Violência: Serra e São Mateus registraram o maior índice de homicídios

As novas roupagens da censura

Sicoob em Cariacica é processado por falta de acessibilidade

Ufes sedia seminário do Dia Internacional contra a Tortura

A raposa cuidando do galinheiro