Seculo

 

MPA busca novos mercados para compensar o maior corte no orçamento da agricultura familiar


13/01/2018 às 22:19
Os recursos federais destinados à agricultura camponesa e familiar em 2018 sofreram a maior redução da história recente do país. E isso num ano em que o governo Michel Temer anuncia “o maior volume da história”, com R$ 200 bilhões para o campo.

Segundo levantamentos do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), o orçamento deste ano equivale a 63% do ano passado, tendo sido reduzidos de R$ 9,7 bilhões para 6,2 bilhões! Especificamente para a segurança alimentar e nutricional, o montante foi reduzido a 43% do valor do ano anterior, passando de R$ 736 milhões para 321 milhões.

“A nossa geração nunca viu algo assim”, afirma o agricultor Dorizete Cosme, da coordenação estadual do MPA. “A intenção é bastante clara e objetiva, de acabar coma agricultura familiar. Reduzir ainda mais a capacidade de resistência que existe dentro da agricultura familiar e camponesa”, diz, com pesar.

“Os impactos serão drástico”, alerta Dorizete, destacando uma tendência de aceleração do êxodo rural. A saída do campo é uma via encontrada pelas famílias menos politizadas e informadas, que se mudam para as periferias das cidades cheias de expectativas, porém, sem conhecer a realidade do meio urbano.

O sonho impossível ainda é insuflado pelas empresas do agronegócio, sendo as de eucalipto as principais no Espírito Santo, com mais violência nas regiões norte e noroeste. “As famílias que estão nesses municípios estão sofrendo um assédio maior ainda para aderir a algum fomento e vender suas propriedades”, conta.

Feiras e novos mercados

“Nosso grau de dificuldade de sobrevivência no campo vai se intensificar”, avalia. Intensificando, consequentemente, prossegue, a luta pelo apoio dos governos municipais, para tentar compensar o rombo federal, não havendo muita expectativa junto ao governo estadual, que segue a mesma política de favorecimento explícita do agronegócio. “Não é que a gente esteja desistindo, mas nesse governo [Paulo Hartung] não tem perspectiva nenhuma de ter conquistas. E na maioria dos municipais, também”, diz.

A solução mesmo, assegura o líder camponês, virá da construção de mercados alternativos e solidários para comercialização direta dos produtos, fortalecendo a aliança camponesa e operaria. As feiras agroecológicas e os pontos de entregas de cestas são a principal ferramenta nesse sentido.

Além disso, os camponeses estudam a entrada em novos mercados internos, junto a instituições privadas, como escolas e academias, além do mercado exterior, esse, mais voltado a itens como o café e a pimenta-do-reino.  “Construindo resistência pra continuar vivendo no campo e criando condições de gerar renda pras famílias e pras organizações camponesas”, enuncia.  

Confira abaixo as principais feiras orgânicas e agroecológicas na Grande Vitória e no interior:




























Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

De demolidor a demolido

Até outro dia, o MDB era o partido mais importante do Estado, mas entrou em agonia com a interferência de PH

OPINIÃO
Editorial
2017 que se arrasta
Manifestação da procuradora-geral da República não poupa críticas ao governo Hartung na condução da greve da PM do ano passado
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

Quarenta e um presos morreram entre março de 2015 e fevereiro de 2018 no Estado

Ato pela legalização do aborto será realizado na próxima segunda-feira em Vitória

Etapa Vitória

Pommercine: uma mostra de filmes pomeranos no Espírito Santo

Parques de Vitória recebem R$ 13 milhões de compensações ambientais