Seculo

 

'Prefeitura está cumprindo mal a ação judicial sobre o Porta a Porta'


15/04/2018 às 14:33
A ampliação do Programa Porta a Porta, de transporte de pessoas com deficiência de mobilidade, anunciado pelo prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS), com início nessa sexta-feira (13), é resultado de uma decisão judicial que não está sendo cumprida na íntegra. A avaliação é do presidente do Movimento de Valorização da Acessibilidade (Mova), José Olympio Rangel Barreto.

“Estão cumprindo mal”, afirma, enunciando dois principais motivos: a utilização de rampa para que o usuário entre nos veículos e o número de carros disponibilizados para o Programa. “Não tem que ser uma rampa, tem que ser uma plataforma elevatória. Eles vão colocar pessoas com deficiência em risco”, diz. “Em segundo lugar, o juiz deu uma ordem pra que aumentasse a frota para, no mínimo, 18 carros. Isso desde 2017. Então estão cumprindo mal”.

O anúncio da ampliação do Programa se deu menos de um mês após uma reclamação registrada no Ministério Público Estadual (MPES) pelo presidente do Mova, alegando desobediência judicial e improbidade administrativa por parte do prefeito, devido à sua “inércia em atender a uma decisão judicial” que determina o aumento da frota do Porta a Porta para, no mínimo, 18 carros.

Atualmente, informa José Olympio, há 377 pessoas na fila de espera do Porta a Porta, que conta com apenas cinco veículos.

Processo tem doze anos

O aumento da frota foi pedido inicialmente em 2006, por uma ação civil pública do MPES, quando a frota era de dez veículos. A primeira decisão favorável às pessoas com deficiência aconteceu no ano seguinte e, em 2010, a Prefeitura recorreu.

Em 2011, o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) estabeleceu um Acórdão, reformulando a sentença e determinando que, em seis meses, deveria haver a ampliação da frota. O Acórdão, porém, não foi executado, e o processo foi arquivado.

O MPES retomou o processo em 2015 e o juiz responsável pela execução, Ubirajara Paixão Pinheiro, convocou uma audiência de conciliação, emitindo uma sentença saneadora que determinou a execução do Acórdão.

Uma nova determinação judicial, exigindo o cumprimento da sentença em 48 horas, ocorreu em agosto de 2017, com notificação pessoal do prefeito. Todavia, relata José Olympio, “fazem sete meses que a referida decisão também não foi cumprida”.

A manifestação no MPES registra ainda que, “de acordo com a Lei Federal nº 13.146/15, trata-se de crime contra a pessoa com deficiência a permanência em não atender seus direitos básicos, qual seja o direito de ir e vir através do programa ‘Porta a Porta’”.

Funcionamento

Por meio do Programa, um veículo adaptado busca o cadeirante no local previamente estabelecido e agendado e o encaminha ao seu destino, também em local e horário previamente combinados. Em outra viagem, o usuário retorna a sua residência ou ponto de onde partiu. Os motivos podem ser variados, como saúde, educação, lazer e trabalho. O transporte, que é gratuito, opera todos os dias da semana e feriados, das 4 horas à meia-noite.

Podem utilizar o programa as pessoas com deficiência motora que dependam do uso de cadeira de rodas e residam em Vitória. Para se cadastrar, é necessário preenchimento da ficha de inscrição, por meio do Fala Vitória 156, acompanhada de declaração esclarecendo que necessita de cadeiras de rodas para se locomover e telefone de contato para agendamento.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Secom
'Esquenta'

Com a a abertura das convenções partidárias, nesta sexta-feira, o mercado ganhou maior intensidade com o racha na base de Hartung

OPINIÃO
Editorial
Mais uma porta na cara
O racismo institucional do Palácio Anchieta ficou ainda mais claro com a presença do jornalista Willian Waack, demitido da Rede Globo por comentários racistas
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Além das lágrimas
MAIS LIDAS

Chapa de deputados estaduais do PCdoB se arma para fortalecer Givaldo Vieira

A importância das eleições

Comando da PM não comparece em audiência de conciliação no Tribunal de Justiça

Largada embolada

'Esquenta'