Uh, Houston, temos um problem

apolo

A garota se chama April, que significa Abril, o quarto mês do ano. Isso também significa que já chegamos à terça parte do ano que mal começou e vai de bem a melhor para uns poucos, de mal a pior para muitos. Como todos os anos. April não nasceu em abril, mas ganhou esse nome por causa da Apollo 13, a missão que quase deu errado. Quase é um oceano entre o certo e o errado, o ótimo e o péssimo. Se nesse país os prédios não põem o número do azar no 13o. andar,  por que não batizaram o foguete Apollo 14?

 

Apesar dos muitos pesares a missão deu certo, entrando para a história, ganhando filme e músicas. A frase ficou famosa, embora alterada para melhor efeito. O astronauta Jack Swigert teria dito, Uh, Houston, nós tivemos um problema. No filme, porém, acharam que a frase correta não provocaria calafrios, parecendo que o problema  já tinha sido superado. Houve, já não há, devia, já não deve. Erro de conjugação ou descuido? Os  problemas estavam apenas começando, e foram 90 horas de muito aperto para salvar os envolvidos numa aventura que tinha tudo para dar certo.

 

É  o que chamamos de imprevisto. Por mais segura que seja a cirurgia, a transação, o evento, a apresentação, o casamento, o tal imprevisto se intromete e atrapalha. Coitado, foi arrancar um simples dente cariado… como imaginar que poderia dar errado? Em 13 de abril de 1970, a espaçonave apresentou um probleminha técnico que quase pôs a perder alguns bilhões de dólares. E as três vidas humanas? Inestimáveis. Durante quatro dias, o mundo acompanhou uma tremenda batalha técnica para trazer a Apollo de volta à terra. Sã e salva.

 

Mas quem navega o espaço ignoto num foguete deve estar preparado para tudo, por mais otimista que seja e por maior que seja o espírito aventureiro. Imaginem se parássemos de viajar de avião porque algo pode dar errado, se até andando a pé a gente pode cair no buraco e acabar a história? Foi o que aconteceu com a April, que numa esquina da vida depara com um sujeito chamado Apolo. Não fosse a coincidência dos nomes, teriam passado e cada qual seguiria seu rumo. Os estudiosos deveriam realizar um estudo sobre a influência dos nomes nos relacionamentos amorosos.

 

April não julgou necessário perguntar, era óbvio que o nome do jovem também homenageava a famosa espaçonave. E mais apaixonada ficou quando soube que ele nasceu em abril, embora no dia 10, e não 13. A sorte ajudou, pois o Apolo é um sujeito educado e de boa família, bem relacionado no trabalho e na vizinhança. Foi quando já estavam pensando em noivado que Apolo levou April para conhecer sua família. Gente lá do interior das Minas Gerais, que na verdade nunca tinha ouvido falar em viagens futurísticas, fosse pra lua ou pra Mariana Trench.

 

Qual não é seu desgosto ao descobrir que o nome do rapaz é Apolônio, homenagem ao avô paterno. Com tanta música no mundo, já fizeram alguma com alguém chamado Apolônio? Tipo, O Apolônio nos convidou pra um samba, ele mora no Brás / Nós fumos, não encontremos ninguém. Quando Apolônio chegou no apartamento da April no dia seguinte não encontrou ninguém nem havia recado na porta. Mas não julguem a garota precipitadamente, que apesar da profunda decepção, ela saiu apenas para fazer as unhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *