Sexta, 24 Setembro 2021

​'A população segue priorizando o carro', afirma urbanista sobre projeto da Rio Branco

ciclovia_av_rio_branco_divlgacao PMV
A Prefeitura de Vitória definiu o projeto a ser utilizado para construção da ciclovia na Avenida Rio Branco. Em audiência pública realizada nessa quinta-feira (29), foi decidido que a ciclovia será implantada no canteiro central, enquanto o estacionamento ficará na lateral direita da via. 

Priscila Ceolin, arquiteta urbanista e integrante do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Espírito Santo (CAU/ES), que participou do debate, sentiu falta de um espaço de fala para os ciclistas. "A ciclovia não atende só o morador, mas a cidade como um todo. Também é necessário dar ouvido àquele que vai usar a via não só para lazer, mas para transporte", aponta.

O encontro foi realizado pela Comissão de Mobilidade Urbana da Câmara de Vitória, presidida pelo vereador Armandinho Fontoura (Podemos) e foi realizada na escola Irmã Maria Horta, na Praia do Canto.

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Habitação (Sedec), quatro árvores serão retiradas para dar mais espaço à ciclovia e substituídas por outras 40 ao redor do bairro. "Elas não serão removidas. Serão substituídas por outras mais adequadas", disse o secretário Marcelo de Oliveira.

O projeto aprovado também mantém as vagas de estacionamento locais, mesmo com cicloativistas defendendo a necessidade de diminuição do número para um espaço mais amplo na ciclovia. A decisão dialoga com o desejo da associação de moradores da região, que sempre defendeu a manutenção das vagas.

"A população segue sempre priorizando o carro, mesmo que isso acabe colocando os ciclistas em risco. Infelizmente, as pessoas não estão prontas para ouvir soluções urbanísticas que realmente tirem o carro do centro", ressalta Priscila.

Para ela, o espaço estreito para os ciclistas pode ser um problema, levando em consideração a velocidade da avenida. "O ciclista vai ter que passar em trechos muito estreitos e se trata de uma rua de tráfego muito rápido, que conecta bairros centrais da Capital. Uma solução agora pode ser a diminuição do limite de velocidade da avenida Rio Branco", ressalta.

No projeto apresentado nessa quinta-feira, a prefeitura corrigiu alguns erros apontados em versões anteriores. O planejamento divulgado em fevereiro contava com pontos considerados graves, como a localização do estacionamento ao lado da ciclovia.

"A pessoa do carro que parasse no estacionamento, teria que sair em cima e, praticamente, abrir a porta dentro da ciclovia. Uma série de problemas, situações e erros graves que poderiam resultar até em mortes", disse o integrante do coletivo de cicloativistas Pedalamente, Hudson Ribeiro, em entrevista recente ao Século Diário.

Na ocasião, o cicloativista já reiterava que, mesmo com a reparação desses erros, problemas estruturais permaneceriam na proposta. "O principal objetivo se mantém, que é o que gera todos esses erros: privilegiar unicamente o carro [...] Acredito que o grande problema desse projeto é justamente esse, não privilegiar as pessoas", destaca.

Com a aprovação em audiência pública, o projeto agora será finalizado pela Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Habitação (Sedec). A previsão é que as obras sejam licitadas ainda este ano.

Histórico

A primeira versão do projeto de ciclovia para a Avenida Rio Branco surgiu em 2015, apresentada pela gestão de Luciano Rezende (Cidadania), mas a implementação foi adiada após críticas de moradores e comerciantes da Praia do Canto, que eram contra a redução do número de vagas de estacionamento

Em 2020, as obras foram realizadas apenas em um trecho que contempla o bairro Santa Lúcia, onde o assunto não gerou tanta discussão. Na Praia do Canto, um grupo de moradores apresentou uma proposta sugerindo que a ciclovia fosse construída no canteiro central da avenida.

No início, o projeto foi considerado tecnicamente inviável pela prefeitura. Apesar disso, em fevereiro deste ano, já no mandato de Lorenzo Pazolini (Republicanos), a gestão municipal apresentou um novo texto, que apontava para a manutenção do número de vagas de estacionamento e a construção da ciclovia no canteiro central da pista.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários: 1

Rose Tristao em Sábado, 31 Julho 2021 14:42

Gente, a ciclovia no canteiro central, a exemplo de outras na cidade, privilegia ciclistas, carros e pedestres! Passa um ciclista por hora na referida Avenida!! Moro aqui! Vamos discutir a melhoria no transporte publico? Pq a ciclovia esta resolvida e vai ficar linda!! Falta muito para nos aproximarmos dos países que privilegiam a ciclovia! Primeiro precisamos ensinar população a ler, escrever, e o que é ciclovia!

Gente, a ciclovia no canteiro central, a exemplo de outras na cidade, privilegia ciclistas, carros e pedestres! Passa um ciclista por hora na referida Avenida!! Moro aqui! Vamos discutir a melhoria no transporte publico? Pq a ciclovia esta resolvida e vai ficar linda!! Falta muito para nos aproximarmos dos países que privilegiam a ciclovia! Primeiro precisamos ensinar população a ler, escrever, e o que é ciclovia!
Visitante
Sexta, 24 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/