Dólar Comercial: R$ 5,02 • Euro: R$ 6,11
Sábado, 27 Fevereiro 2021

Documentário aborda uso da língua pomerana em Santa Maria de Jetibá

Documentário aborda uso da língua pomerana em Santa Maria de Jetibá

Há mais de 160 anos, os povos pomeranos chegaram ao Espírito Santo, um de seus principais destinos no País em que chegaram fugindo das guerras. Santa Maria de Jetibá ostenta o título de "município mais pomerano do Brasil" e a presença desse povo tradicional se dá tanto no campo como na cidade. 


Além dos fatores étnicos, religiosos e culturais, a língua pomerana também é um aspecto marcante, já que se manteve falada por aqui, mas praticamente perdeu-se na Europa, onde a Pomerânia acabou anexada em parte à Alemanha e em outra parte à Polônia.


Em 2018, como parte de seu trabalho de graduação em Jornalismo pela Faesa, Sarah Stuhr, pomerana nascida em Santa Maria, realizou o documentário Wij reere Pomerisch | Nós falamos Pomerano, que agora disponibilizou na internet por meio do canal YouTube. "Eu falo pomerano, por isso o nome do documentário no plural, porque me incluo. Sempre quis fazer algo para abordar nossa cultura", diz.



O documentário, feito de maneira independente, foi apresentado para avaliação e também exibido na escola onde foram realizadas partes das gravações.



Embora tenha tentado inscrever em um festival, o vídeo não foi selecionado. Mas agora, liberado na internet, o resultado foi surpreendente. "Eu realmente não esperava que teria toda essa repercussão. Postei num grupo com pomeranos do Brasil inteiro apenas para compartilhar com eles, e várias pessoas comentaram, mandaram mensagens de carinho e elogios e compartilharam", contou a diretora sobre o vídeo, que em poucos dias chegou a três mil visualizações. "Está sendo um incentivo para desenvolver mais projetos na área ou outros documentários", comenta Sarah, que hoje reside em Vila Velha.


Na obra, com 15 minutos de duração, ela entrevista pessoas importantes na defesa e difusão da língua pomerana, como o etnolinguista Ismael Tressmann, que elaborou a escrita e primeiro dicionário da língua que vem de tradição oral; a professora aposentada Marineuza Plaster, importante defensora  da língua; e Célia Lemke, que leciona a língua com crianças e jovens do município


Como em Santa Maria de Jetibá cerca de 80% da população é de origem pomerana, a língua é comumente ouvida em diversos ambientes, seja no campo ou na cidade, incluindo o comércio, as igrejas, escolas e nos ambientes familiares. O documentário aborda brevemente os desafios entre a educação escolar e familiar e a importâncias das políticas públicas como o Programa de Educação Escolar Pomerana (Proepo), que é aplicada em diversos estados do Brasil. 


A língua pomerana é a primeira língua de imigração co-oficializada no Brasil, abrindo caminho para a implementação de políticas de valorização, das quais Santa Maria é um caso exemplar para o país.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários: 1

Mark Thompson em Terça, 06 Outubro 2020 12:31

Maravilha essa matéria Sarah Stuhr, parabéns!!

Maravilha essa matéria Sarah Stuhr, parabéns!!
Visitante
Sábado, 27 Fevereiro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection