Quinta, 26 Mai 2022

‘Gostamos do que vimos e esperamos que de fato seja construído’

lini-feletti_Foto_redessociais Redes Sociais

A Prefeitura Municipal de Vitoria (PMV) apresentou, nessa quinta-feira (20), o estudo do projeto de reurbanização das ruas Gama Rosa e Sete de Setembro, no Centro de Vitória. A apresentação, que foi feita na Escola Técnica Municipal de Teatro, Dança e Música (FAFI), agradou a Associação de Moradores do Centro (Amacentro). "Gostamos do que vimos e esperamos que de fato seja construído", diz o presidente da entidade, Lino Feletti.

Na rua Gama Rosa, informa o líder comunitário, haverá uniformização das calçadas, alargamento das mesmas, arborização, faixas elevadas de pedestre para controle de velocidade do trânsito e aterramento de fios. Na rua Sete, é preciso, antes de qualquer coisa, fazer um estudo para saber se é viável a elevação da rua para o nível da calçada, uma vez que a rua serve de armazenamento da água pluvial que desce dos morros, evitando que entre nos imóveis.

"A reurbanização fará dessas ruas um espaço de convivência mais amplo para os moradores e visitantes. É um fortalecimento do turismo, da economia e da segurança. Onde tem mais gente a sensação de segurança é maior do que onde não tem", diz Lino.

O estudo do projeto de reurbanização, que não tem data para ser finalizado e está sendo realizado pela Secretaria de Desenvolvimento da Cidade e Habitação (Sedec), foi apresentado pela primeira vez em setembro último. Faz parte do grande pacote da Prefeitura de R$ 1 bilhão de investimentos em várias áreas, até 2024, incluindo os polos gastronômicos da Rua da Lama, da Curva da Jurema e do Bairro República/Mata da Praia.

Mercado da Capixaba

O Mercado da Capixaba, no Centro, também foi tema da reunião dessa quinta-feira. O edital de licitação para sua restauração, informa Lino, deve sair até o final de março. "É uma restauração necessária e urgente", diz. A gestão de Lorenzo Pazolini (Republicanos), afirma o líder comunitário, se comprometeu durante a reunião a discutir, após o processo de restauro, a discutir com a comunidade o tipo de uso que será feito no espaço.

Foi firmado ainda o compromisso de construir coletivamente a forma como se dará essa discussão. "Ficamos felizes com a informação e queremos que isso seja implementado", diz Lino. Ele destaca que, durante o encontro, também foi informado que a obra da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) São Vicente de Paulo, também no Centro, terá sua ordem de serviço decretada até o final de fevereiro.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 26 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/