Quinta, 07 Julho 2022

Pinheiros e São José do Calçado solicitam doações para vítimas das enchentes

enchente2_Foto_Pref_So_jos Prefeitura de São José

As prefeituras de São José do Calçado, na região do Caparaó, e de Pinheiros, no norte do estado, solicitam doações para as vítimas das enchentes que atingiram os municípios. Na primeira cidade, os pontos de coleta são a unidade do Programa Saúde da Família (PSF) e a Igreja Católica, ambos na localidade de Buraco Quente; o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS); e o Posto Resende. Em Pinheiros, na Secretaria Municipal de Educação.

Em ambas as cidades as gestões solicitam doações de itens como alimentos não perecíveis, roupas, agasalhos, roupas de cama, material de limpeza e material de higiene pessoal. As enchentes no norte foram causadas pelas chuvas dessa quarta-feira (29). O secretário municipal de Agricultura, Meio Ambiente, Obras e Transporte, Arlindo Lopes de Assis, em vídeo nas redes sociais, relatou que há pessoas desalojadas, abrigadas em escolas do município, mas não informou a quantidade.

O gestor também afirma que houve queda de muros, e outros, em iminência de cair, estão sendo derrubados. O Centro foi o local mais atingido. Além disso, de acordo com ele, a gestão do prefeito de Pinheiros, Arnóbio Pinheiro Silva (Cidadania). Em vídeo postado nas redes sociais, o prefeito relatou que o temporal começou por volta das 16h, durando cerca de 45 minutos, mas registrando cerca de 120 milímetros.

No mesmo vídeo, o secretário estadual da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto, explicou que a quantidade corresponde a cerca de 1,2 m de água a cada milímetro quadrado e que a região mais baixa recebe água das mais altas, portanto, estima-se que, na parte baixa, que abarca a área comercial, a rodoviária e a prefeitura, a quantidade deve ter sido de 2,4 m.

O gestor também explicou que é necessário que a Defesa Civil municipal faça um laudo para a estadual para que seja possível liberar itens como colchões, cesta básica, e outros de necessidade imediata. Além disso, destacou que sua pasta pode colocar à disposição equipamentos para o trabalho de recuperação da cidade.

Também nas redes sociais, a gestão de Arnóbio informou que não houve feridos e que foi realizada uma reunião no gabinete do prefeito nesta quinta-feira (30), na qual foram traçadas algumas ações. Uma delas é a visita de equipes da prefeitura às pessoas atingidas para levantamentos de perdas materiais, necessidades e providências urgentes a serem tomadas, como doação de mantimentos e de outros itens básicos de sobrevivência.
Foto: Redes Sociais

Em São José do Calçado, cerca de uma hora de chuva na noite dessa terça-feira (28) foi o suficiente para que o nível do Rio Calçado subisse cerca de dois metros e deixasse 90% do Centro da cidade destruídoA Prefeitura informa que, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, na manhã desta quinta-feira (30) foi feita a distribuição de colchões, roupa de cama, kits de limpeza e cestas básicas para as famílias que tiveram suas residências invadidas pelas águas.

Foto: Prefeitura de São José

Segundo o prefeito, Cuíca, a ação é uma continuidade das iniciadas no dia anterior. "Hoje estamos entregando as cestas básicas para as famílias que não foram atendidas ontem. Também iniciamos hoje a distribuição de colchões, roupa de cama e kits de limpeza para quem teve sua residência invadida pelas águas. Estamos trabalhando para devolver a dignidade a essas pessoas. Esperamos que em breve tudo esteja normalizado", finalizou.

O coordenador da Defesa Civil de São José do Calçado, Anderson Marques da Silva, informa que, no Centro, cerca de 300 famílias ficaram desalojadas. Esse número pode aumentar, uma vez que a assistência social da prefeitura ainda não terminou o trabalho de catalogação das pessoas atingidas. Os moradores perderam bens materiais nas casas alagadas pela chuva e se abrigaram nas de parentes.

Ainda não há registros de imóveis destruídos, segundo Anderson. O Centro ficou muito danificado, com ruas enlameadas e calçamento destruído. A gestão municipal, afirma o coordenador da Defesa Civil, está fazendo a limpeza das ruas, do interior das casas, para, depois, iniciar obras como a de calçamento.
Foto: Prefeitura de São José

Bom Jesus do Norte

A cheia no rio Calçado atingiu o Rio Itabapoana, em Bom Jesus do Norte, no sul do estado, que teve seu nível elevado em três metros, atingindo duas ruas no bairro Silvana e uma no Centro, perto da rodoviária. Isso fez com que a gestão de Toninho Gualhano (PMN) informasse que a cidade se encontra em alerta vermelho.
Imagem: Reprodução

O secretário da Defesa Civil e secretário de Planejamento, Habitação, Trabalho, Desenvolvimento Urbano, Rural e Social, Carlos José Ribeiro Vieira, o Cazé, informa o rio ainda se encontra em altura de transbordo, pois recebeu água de uma represa de Guaçuí, na região do Caparaó, devido às chuvas dessa quarta-feira (29). Por isso, e também por causa das previsões de chuva, a cidade permanece em alerta vermelho até o próximo domingo (2).

Em uma das ruas atingidas no bairro Silvana seis pessoas de uma família ficaram desalojadas momentaneamente, pois a água atingiu o quintal da casa delas, não adentrando a residência, portanto, sem perda de bens materiais. Essas pessoas mudaram temporariamente para a casa de parentes.

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 07 Julho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/