Terça, 28 Junho 2022

Projeto de revitalização do Centro de Vitória prevê demolição dos galpões 4 e 5

Projeto de revitalização do Centro de Vitória prevê demolição dos galpões 4 e 5
Mesmo com o abaixo-assinado que mobilizou moradores e frequentadores do Centro da Capital capixaba contra a demolição dos galpões 4 e 5, do Porto de Vitória, utilizados como espaços culturais, a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) mantém o plano de demolição dos espaços e deverá apresentar o projeto de “Revitalização do Centro”. O projeto será apresentado no dia 3 de outubro ao Conselho Estadual de Cultura (CEC).

 

Segundo o médico e naturalista Marco Ortiz, que faz parte do Conselho Estadual de Cultura, a apresentação foi solicitada pelo próprio colegiado após reunião com a Codesa. “O projeto parece o Masp [Museu de Arte de São Paulo]. Há um vão livre em baixo e lá no alto há o andar onde ficará a nova sede da Codesa, um restaurante...Tudo de vidro”, descreveu.

 

De acordo com Marco Ortiz, o projeto representa um retrocesso. “Revitalização é o resgate da memória, já o projeto prevê a modernização do porto”, criticou.

 

Durante a apresentação ao CEC, a Codesa apresentará o projeto de Ampliação do Porto de Vitória, novas instalações e as razões para a demolição do galpão 4 e 5 e do atual prédio da Codesa.

 

Além do CEC, a Codesa também deverá enfrentar resistência da sociedade civil. A demolição dos galpões segue na contramão do anseio de artistas, produtores culturais e do público que costuma lotar os eventos realizados no espaço. Afinal, foi o Armazém 5 que incubou o projeto Estação Porto, da Prefeitura de Vitória, que promoveu shows gratuitos de artistas nacionais e locais. Além disso, o projeto da Codesa ignora o abaixo-assinado que pede a preservação da área.

 

No abaixo-assinado destinado ao Ministério dos Portos e da Cultura; Secretaria Estadual de Cultura; Prefeitura de Vitória; Secretaria de Cultura de Vitória; Secretaria de Turismo de Vitória e Conselho Municipal de Política Cultural de Vitória (CMPC), além do pedido de preservação do espaço cultural, é ressaltado o valor dos dois prédios como patrimônio arquitetônico e referencial paisagístico da cidade de vitória (ambos foram erguidos em 1940); a importância dos mesmos para a memória coletiva da cidade; a importância para o turismo para quem embarca e desembarga nos cruzeiros que passam por Vitória; e o combate a recente onda de desmantelamento dos equipamentos culturais da cidade, entre outros.

 

Apesar dos argumentos, a Codesa defende que o projeto de revitalização do Cais Comercial do Porto de Vitória tem por objetivo ampliar área de estocagem de carga pesada, com uma capacidade estática para 6t/m², sendo possível através da retirada dos prédios e armazéns dos berços 101 e 102. Atualmente os prédios e armazéns possuem área de 4.400m² de projeção e uma faixa de retroárea com 40 metros de largura. Com a execução do projeto a retroárea aumenta para 60 metros de largura.

 



Serviço:

Apresentação do Projeto de Revitalização do Porto de Vitória

Data: 3 de outubro, 2013

Horário: 14h00

Local: Biblioteca Pública Estadual do Espírito Santo, Enseada do Suá, Vitória

Veja mais notícias sobre Cidades.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 28 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/