Dólar Comercial: R$ 5,31 • Euro: R$ 6,29
Terça, 01 Dezembro 2020

As bem cantadas

 

Embora todas as mulheres são, já foram ou serão cantadas, algumas são mais cantadas que as outras. A campeã das cantadas, como não poderia deixar de ser, é Maria, a que não vai com as outras. Mas número aqui não é documento, e sim quem as canta. Se quem canta e encanta, por exemplo, forem uns tais de Paul e John, elas entram para o rol da fama e não morrem jamais. A música mais cantada no mundo com nome de mulher é Michelle, ma belle, que já foi cantada seis milhões de vezes.
 
Entre Marthas e Judes, Lucy voando no céu e a lovely Rita, tem até uma Julia, e faço aqui uma homenagem à minha neta: olhos de conchas marinhas, sorriso de vento, me liga e cantarei uma canção de amor. No hemisfério caseiro temos Marina, a morena que cometeu o grave pecado de se pintar. E Madalena, que não sabia que o que é meu não se divide. Ou seria a Madalena que todos vão ver lá na Barra do Jucu?
 
Debruçada na janela a Carolina do Chico não vê que o tempo para ela não passa. Mas tem a Carolina do Gonzagão que sabe dançar o chenhenhén, e todo mundo é caidinho pelo cheirinho que ela tem. Até o delegado caiu no cecê da menina. Houve uma dona Vera que também não viu passar a primavera da vida. Boas meninas. A Conceição, eu me lembro muito bem, e Dolores Sierra, que vive no cais de Barcelona, coitadas, tiveram menos sorte.
 
Caetano cantou Clarice, cheia de mistérios entre os meninos e os peixes, e se encantava com a risada de Irene. E tem a Mônica que não era do preguiçoso Eduardo, mas do Renato; tem a Ana Maria que por certo não chorava pelo Juca Chaves. E tem Luísa do Chico, que precisou de uma canção para ser esquecida. Mas quem esquece? Roberto cantou Lady Laura, bom garoto!
 
Tom Jobin cantou uma certa garota de Ipanema, que disse se chamar Helô, ou vice versa.... Também cantou Luciana, que não sabia que o amor é como a flor... acaba. Mas não podemos esquecer da Amélia, a mulher de verdade. Era mesmo? Amélia era a cozinheira do Mário Lago, rainha dos quitutes e temperos, que um dia foi embora sem dar aviso prévio. Então faz sentido que ela achasse bonito não ter o que comer.
 
Antiga música cantava que o cantor que cantou Tereza cantou também Isabel, o que nos manda um recado: não acredite em amor de compositores, que eles cantam todas. E vamos nós também amando os amores que eles amam ou amaram, que a canção, mais das vezes, dura mais que o amor que a inspirou. Que árido seria o mundo sem as músicas com que embalam nossas almas! A música campeã de todos os tempos é Yesterday, dos Beatles – tocada nove milhões de vezes.

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 01 Dezembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection