Quarta, 27 Outubro 2021

​Cidadania e participação

A cidadania e a participação na defesa de direitos, interesses e necessidades só ocorrem no regime democrático, sem democracia não há cidadania.

Os interesses de cada indivíduo e de seu grupo devem ser acompanhados e debatidos entre os seus iguais, na família, com amigos, com colegas, na sua sociedade.

A democracia permite a existência de instituições e grupos que tratam de interesses comuns, nos locais de moradia, na prática religiosa, na escola, no trabalho, na prática de esportes, cultura e lazer, enfim, em todas as áreas de convivência humana.

Os seres humanos são diferentes em cultura, em desejos e faltas, as diferenças constituem nossas identidades e também podem fazer surgir divergências e conflitos que são naturais e exigem uma decisão, que pode ser democrática e pacífica ou litigiosa, e nos cobra um posicionamento e uma tomada de partido entre as partes divergentes. Não tomar parte, se omitir, significa ficar do lado do mais forte e permitir que este massacre o mais fraco.

É importante para os seres humanos participar das instituições que atuam no fortalecimento e na defesa de seus interesses e necessidades, se essas não existirem, se faz necessário sua criação. É assim que surgem as instituições, são frutos da criação humana para o seu bem-estar.

No contexto histórico de nossa sociedade, a expressão de ideias de participação política tem infinitas possibilidades. Na nossa cultura ocidental, em que muitos lutam para implantar e aprimorar uma democracia forte e que seja respeitada, o conceito de participação política tem uma abrangência muito grande.

A participação começa no nosso ambiente de vivência, entre os iguais em interesses e necessidades, e deve ir galgando outros patamares dentre as diversas instituições sociais e políticas existentes.

A participação significa conquistar e manter direitos para o exercício da cidadania. Segundo Bobbio em seu dicionário de política, essa participação começa pela presença, seguido da participação nas diversas instituições democráticas, até a tomada de decisões nas ações políticas, elegendo seus representantes para em patamares mais altos representarem seus interesses, direitos e necessidades.

A democracia ideal pressupõe uma participação política cada vez maior, passando da democracia representativa para uma democracia direta, em que cada cidadão atue diretamente nas tomadas de decisões.

A nossa participação na vida política da sociedade, para que atenda os interesses e necessidades da maioria e não apenas de alguns, depende de estruturas políticas que forneçam estas oportunidades e incentivos.

Atualmente, o ato de votar é o mais importante de nossa participação, mas ainda insuficiente, pois não controlamos todo o processo que implica a ato de votar e ser votado, já recebemos o processo em seu estágio final.

A participação popular na vida política não deve se dar somente pelas instituições formais existentes, mas a população organizada e mobilizada na defesa de seus direitos e interesses, principalmente nos direitos humanos, para atender as necessidades básicas para sua sobrevivência.

No Brasil, a nossa vivência e a história recente nos mostram a importância da participação democrática para evitar a violência de uma ditadura que instala um regime violento, abolindo todas as formas de participação do cidadão na vida política.

Das instituições formais existentes, o cidadão reconhece os partidos políticos como referência de participação na vida política, mas é preciso ter a clareza que o ser humano é um ser político por natureza e exerce sua política, seu poder, na defesa de seus desejos, interesses e necessidades em todos os locais por onde passa, vive e sobrevive.

Identifiquemos nossos iguais e vamos juntos defender os nossos direitos, fortalecendo nossa democracia, para que não retornemos aos períodos autoritários de nossa história, onde só alguns participavam da nossa política e o povo era manipulado como massa de manobra para atender os interesses de uma elite.

Cada cidadão deve perceber que o poder para a defesa de seus interesses está em si mesmo e no seu grupo e, por isso, deve buscar as instituições que melhor o represente e lhe proporcione as melhores oportunidades de participar da vida política e exercer a democracia, fortalecendo sua cidadania. A sociedade que queremos e merecemos só será construída com a nossa participação democrática.

Participar para avançar, retroceder jamais.

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários: 1

gladson santos em Quinta, 23 Setembro 2021 09:24

cidadania e participação, e tem cara por ai que sabe das coisas, as mentiras vem de suposições espalhadas pelo poder controlador. o pessoal sabe onde está a mentira, mas não pode apontar. veja que com tanta gente que morreu já era para diminuir o numero de vereadores e deputados. eles se privilegiaram demais e agora estão enroscados com o judiciário e o executivo, os cargos são tão altos e tem tantas vantagens que não dá nem para trabalhar, e ficam o dia todo cuidando das jogadas dos investimentos e do lazer.

cidadania e participação, e tem cara por ai que sabe das coisas, as mentiras vem de suposições espalhadas pelo poder controlador. o pessoal sabe onde está a mentira, mas não pode apontar. veja que com tanta gente que morreu já era para diminuir o numero de vereadores e deputados. eles se privilegiaram demais e agora estão enroscados com o judiciário e o executivo, os cargos são tão altos e tem tantas vantagens que não dá nem para trabalhar, e ficam o dia todo cuidando das jogadas dos investimentos e do lazer.
Visitante
Quarta, 27 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/