Dólar Comercial: R$ 5,02 • Euro: R$ 6,11
Terça, 26 Janeiro 2021

Costas quentes

Esta é a pergunta que não quer calar diante da insistência cega do governador Renato Casagrande de mantê-lo no cargo a qualquer custo. A lista de problemas e irregularidades relacionada à pasta de Justiça é extensa e não se restringe ao caso do Iases/Acadis. Também não tem nada de recente, denúncias e mais denúncias revelam questões graves e suspeitas há muito tempo e já foram parar até na Organização das Nações Unidas (ONU). Mas não há evidência nem escândalo capazes de ameaçar Roncalli. Não é novidade que Casagrande age com excesso de prudência em relação aos hartunguetes que permanecem em seu governo, tanto que cheira a omissão. Mas o caso envolvendo Roncalli parece ultrapassar os limites desse acordo. Sai governo, entra governo e ninguém tem coragem de entregar a cabeça do secretário, mesmo que isso custe um ônus muito caro de arcar. O trunfo de Roncalli, já está provado, faz milagre. 

 

Inverteu
Interessante na nova justificativa de Casagrande para não exonerar e nem afastar o secretário, é a afirmação de que não há provas do envolvimento de Roncalli no esquema de corrupção do Iases, como indicam os indícios e o próprio inquérito. Mas é o contrário: não há nada que prove que Roncalli não tem participação, isso sim. 
 
Enquanto isso...
A candidatura a prefeito de Colatina (noroeste do Estado) do deputado estadual Da Vitória (PDT) segue em queda livre. 
 
Amarrado
Em Cachoeiro de Itapemirim (sul do Estado), já estão evidentes as relações políticas estabelecidas entre o ex-governador Paulo Hartung (PMDB) e o presidente da Assembleia Legislativa, Theodorico Ferraço (DEM). Os dois rearrumaram o cenário da disputa municipal, de maneira a garantir a reeleição do prefeito Carlos Casteglione (PT). Os atores políticos, de forma direta ou indireta, garantiriam ao petista esse apoio, para que depois a vitória ganhe contorno de reviravolta. Atribuída, evidentemente, a Hartung. 
 
Amarrado II
As movimentações deixam Glauber Coelho (PR) isolado na campanha, contando apenas com apoios de lideranças locais com capital político já reduzido, como o ex-prefeito Roberto Valadão e o ex-deputado José Tasso, ambos do PMDB. Tudo isso para atribuir ao senador Magno Malta (PR) a derrota de Glauber. Magno, como se sabe, é sempre alvo certeiro de Hartung.
 
Projeto futuro
O deputado estadual Sandro Locutor (PV) demonstra seu senso de oportunismo na eleição deste ano. É candidato a prefeito em Cariacica, mas seu objetivo é mesmo preparar o terreno para uma disputa à reeleição. O verde – pra lá de desbotado – já baixou o tom de sua campanha e se transportou para Viana e Brejetuba, onde o PV tem candidatos estratégicos. Tenta, assim, consolidar espaços. 
 
Projeto futuro II
Em Viana, Locutor pega carona no candidato Gilson Daniel, que surpreende e ameaça a deputada estadual e ex-prefeita Solange Lube (PMDB). Já em Brejetuba, está na cola de João Lourenço, favorito na disputa. Com estratégia, o deputado dá um brilho em torno de seu nome nos três municípios em questão, se valendo do partido que milita, apesar de não ter identidade nenhuma com ele.
 
Aliás...
O debate com os candidatos de Cariacica deixou clara a real intenção de Locutor. Mais ainda, a aliança entre o deputado e o prefeito Helder Salomão (PT) – o PV tem indicação da secretária de Meio Ambiente na administração municipal. 
 
140 toques
“O 18º Grito dos Excluídos mostra, mais uma vez, a força dos movimentos sociais organizados”. (Deputada federal Iriny Lopes – PT – no Twitter).
 
PENSAMENTO:
“Todos os segredos da política consistem em mentir a propósito”. Jeanne Pompadour

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 26 Janeiro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection