Dólar Comercial: R$ 5,47 • Euro: R$ 6,40
Quarta, 23 Setembro 2020

Cura Brasil

O Brasil, como o resto do mundo, está de quarentena, ou seja, a população se resguardando em casa de um terrível vírus. Hospitais lotados, comércio parado, colégios fechados, etc.


O nosso país, por ter dimensões continentais, sofre um pouco mais esse dano, não por ser totalmente rebelde e não seguir as determinações das autoridades mundiais de saúde que orientam todo mundo. O problema é outro, a liberdade.

O brasileiro vive numa boa, desde que não falte cerveja no bar, futebol nos estádios e samba nas rodas. Nenhuma destas atividades acontece, estão proibidas devido à possibilidade de contágio.

Beber em casa não é a mesma coisa, ver futebol sem torcida também, e ouvir samba no phone não dá. O brasileiro, então, sofre. Vira fera enjaulada.

Mudemos as coisas que o brasileiro gosta. Por exemplo. Praia, mulher e cerveja. Aí também há sofrimento nesses momentos de confinamento. Praia está sendo evitada, mulher não sai de casa, e nem cerveja em reunião com churrasco.

Tudo é online, compras, missa, aulas, reuniões. O telefone nunca foi tão usado, a televisão e os sites de notícias nunca foram tanto acessados.

O brasileiro sofre. Será que ao passar este momento tão diferente, vai mudar alguma coisa na vida do país, ou voltará tudo como era antes?

Algumas coisas ficarão marcadas: a teimosia política e o povo andando de máscara. Pelo menos nesse item, ficamos sabendo como é importante o uso deste recurso na área da medicina em tempos de cuidados extremos.

PARABÓLICAS

Juninho Megahertz e Michel Bart se desligaram da Rede Sim para alçar novos voos em suas carreiras.

Arlindo FM se constitui hoje como um dos melhores operadores especializados em news do Estado.

Marcio Lobato presta agora seus serviços em atividades comerciais na Record News ES.

O ex senador Magno Malta continua descansando da política. Nem à sua rádio foi falar da saída de Moro.

ACESSE
http://jrm50anos.blogspot.com.br/

MENSAGEM FINAL
"Cansei desta vida agitada e falsa. Buscarei o convívio dos pequenos grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os poucos, mas fieis amigos. Meu refugio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesias para entender a vida, mais romances para continuar sonhando e muito boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr do sol, para, em silêncio, agradecer a Deus por sua fidelidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e ler as escrituras como uma carta de amor de meu Pai". Ricardo Godim

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 23 Setembro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection