Dólar Comercial: R$ 5,76 • Euro: R$ 6,79
Sexta, 23 Abril 2021

​Festival de Cinema Russo: Arritmia

O festival de cinema russo contemporâneo é uma iniciativa do Ministério da Cultura da Rússia para divulgar as novas produções do país entre 10 e 30 de dezembro e está acontecendo simultaneamente em vários países. No Brasil os interessados podem acessar pelo looke (www.looke.com.br) ou spcineplay (spcineplay.com.br). 

Oleg e Katya são um casal em plena crise conjugal, Oleg é um paramédico alcoólatra e sua esposa Katya é médica e servidora pública. Depois de anos juntos, Katya admite que nunca o compreende. Para ela, é especialmente incômodo sua dependência da bebida, que reforça cada vez mais o esgarçamento da relação.

Mesmo sendo muito criticado, Oleg não se importa com a compulsão de Katya pelos cigarros. Ela não suporta mais os defeitos do marido e a família não simpatiza muito com o genro. Um jantar desastrado vira a oportunidade perfeita para Katya pedir o divórcio. O momento é bastante inoportuno e Oleg não aceita bem a separação, ademais, o fato de trabalharem no mesmo hospital torna sua presença ainda mais incômoda.

Em um dia normal de trabalho, o Ministério da Saúde estabelece um novo regulamento que ninguém entende a princípio, mas que, durante a reunião, todos concordam em segui-lo. A nova regra maluca exige que os médicos de uma especialidade deixem de atender os pacientes de outra, mesmo estando mais próximos da ocorrência. Para aumentar o número de atendimentos, a nova regra reduziu o tempo das sessões para no máximo vinte minutos. A mudança gera protestos, porque elimina o atendimento personalizado, transformando as consultas em procedimentos protocolares.

Oleg não consegue se adaptar e chega a ser afastado por algum tempo. Na verdade, o sistema criou uma mentalidade egoísta, em que basta terminar um trabalho de qualquer jeito e depois passar a batata quente para o próximo, ou seja, os pacientes podem morrer desde que estejam sob os cuidados de terceiros. A pressão da separação, o alcoolismo e o ambiente de trabalho medíocre e autoritário são pesados demais para Oleg.

O filme mostra que o sistema público de saúde da Rússia é bem parecido com o nosso, em muitos aspectos: os usuários frequentes, pessoas que recusam atendimento por motivos pessoais ou religiosos, pessoas aparentemente sãs com problemas graves, e até mesmo pessoas solitárias que só precisam de alguém para conversar. Talvez estes fenômenos não sejam exclusivos dos dois países mais universais.

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários: 1

Vinicius em Quarta, 23 Dezembro 2020 08:08

Será que o governo da nova Rússia, por meio da Ministério da Cultura da Rússia, financiaria propaganda política ideológica antirrussa ou esta "crítica" fílmica é equivocada?! Convido aos leitores de Século Diário a assistirem ao filme. Como dizem meus sobrinhos, em gíria infanto-juvenil, "não pretendo dar spoiler".

Será que o governo da nova Rússia, por meio da Ministério da Cultura da Rússia, financiaria propaganda política ideológica antirrussa ou esta "crítica" fílmica é equivocada?! Convido aos leitores de Século Diário a assistirem ao filme. Como dizem meus sobrinhos, em gíria infanto-juvenil, "não pretendo dar spoiler".
Visitante
Sexta, 23 Abril 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection