Sexta, 17 Setembro 2021

Perderam o foco

 

O clima do segundo turno em Vitória descambou para um lado que não agrada ao eleitorado. Ao invés de propostas em áreas prioritárias, como saúde, segurança e educação, o clima é de vitimização, ataques e batalhas judiciais. O tucano Luiz Paulo Vellozo Lucas não fala mais de outro assunto, a não ser os boatos que o atingem e as alianças do seu adversário. Já Luciano Rezende (PPS) até tenta não entrar no jogo, mas acaba deslizando na mesma direção. Um bate e o outro se defende. Enquanto isso, os eleitores deixam de conhecer os planos de governo dos dois candidatos, o que realmente importa. A poucos dias do pleito, o cenário não desenrola, pelo contrário, só se agrava, à medida que envolve cada vez mais autores e ganha novos tons e embates. Se há algo de positivo na estratégia adotada até agora e se ela realmente rende votos, está realmente difícil de descobrir. Cheira a suicídio eleitoral. 
 
Queixa
A Associação dos Amigos da Praia de Camburi não gostou de Luciano Rezende ter utilizado em seu programa eleitoral sobre meio ambiente perguntas feitas durante a sabatina realizada pela entidade. Que, aliás, só contou com a participação do candidato do PPS. É que Luciano não assinou o termo, pediu para ficar com o documento para análise, mas usou na campanha itens modificados, diz a associação. Ainda tem tempo Luciano!
 
Queixa II
Já Luiz Paulo ignorou o convite da entidade para a sabatina, alegando problema de agenda, e até agora não se manifestou sobre o termo, que versa sobre saúde, qualidade de vida e meio ambiente - provavelmente, tema pouco atrativo para o tucano. 
 
Testado
O candidato a prefeito em Vila Velha, Rodney Miranda (DEM), que havia surpreendido em debate no primeiro turno, não tem sustentado boas apresentações. No confronto cara a cara com o prefeito Neucimar Fraga (PR), apresenta conteúdo frágil e foge de perguntas. 
 
Vai que cola
Numa dessas esquivadas, Rodney copiou o prefeito eleito de Linhares (norte do Estado), Nozinho Correa (PDT), na história das siglas. Para responder à pergunta sobre EI (Empreendedor Individual), que não sabia o que era, lançou o “PI”, de prefeito incompetente. No debate com Guerino Zanon (PMDB), Nozinho ao ser perguntado sobre o Fundo de Desenvolvimento das Atividades Portuárias (Fundap), criou o “HH”, de homem honesto. 
 
Não estudou
O desconhecimento de Rodney não pega nada bem. É que Vila Velha é recordista em formalização de EI. Matéria deveria ser obrigatória para quem pretende se tornar prefeito da cidade. 
 
Atrasado
A propósito, a essa altura do campeonato, o que o apoio do deputado estadual Hércules Silveira (PMDB) representará para Rodney? O peemedebista é bom de voto em Vila Velha e tem eleitorado fiel. Transfere?
 
Berro sem motivo
O deputado estadual Atayde Armani (DEM), que desde o início dos debates para modificar o Código Florestal vestiu a camisa dos ruralistas, não poderia deixar de comentar os vetos da presidente Dilma à Medida Provisória. Embora a legislação continue favorecendo os grandes proprietários de terras, os representantes do agronegócio queriam mais. Muito mais. Reclamam de barriga cheia. 
 
Vou não vou
Ganha corpo a indicação do presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Pedro Valls Feu Rosa, para assumir uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF). Deputados da bancada capixaba estão empenhados nisso. Bom para Feu Rosa e os peixes grandes que temem suas investigações. Ruim para o tribunal, que inaugurou uma nova fase. 
 
140 toques
“Lamentável a insistência do candidato Luiz Paulo em usar uma citação minha em um debate da TV Gazeta”. (Terceira colocada em Vitória, deputada federal Iriny Lopes – PT – no Twitter).
 
PENSAMENTO:
“Os governos nunca aprendem. Só os governantes - quando saem”. Milton Friedman

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 17 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/