Dólar Comercial: R$ 5,56 • Euro: R$ 6,58
Sábado, 24 Outubro 2020

Um olho no peixe...

 

Movimentos sociais de Vila Velha comemoram a decisão da Justiça que considerou inconstitucional a lei que altera o Plano Diretor Municipal (PDM). De fato, têm motivos de sobra para isso, a criação de zonas industriais em áreas de interesse ambiental representa um retrocesso sem tamanho. Mas é bom não desligarem o alerta. O prefeito eleito, Rodney Miranda (DEM), tem planos ambiciosos para o município. Ou seja, novas ameaças virão.
 
A contar pelo plano de governo do demista, que é quase um ultimato a empresas de todos os tipos e espécies para que se instalem em Vila Velha, a expectativa é a pior possível. Rodney inclusive coloca como metas de sua gestão “melhorar o ambiente para atração das empresas, com redução da burocracia” e “tirar os projetos do papel, fazer acontecer”.
 
O crescimento econômico acelerado é considerado o terceiro choque de gestão de Rodney, que pretende além de melhorar a relação entre prefeitura e empresariado, utilizar as Zonas de Processamento das Exportações para atrair empresas, desenvolver as áreas sul e rural, priorizar as atividades portuárias, de serviço e residencial, criar polo industrial, dentre outros muitos pontos.
 
Sobre o caso específico que envolve o Parque Natural Municipal Jacarenema, a intenção do prefeito eleito é “ampliar o aproveitamento da unidade como atração turística”. Resta saber que tipo de aproveitamento será esse. Inicialmente, não causa boa impressão. 
 
As declarações de Rodney Miranda após a decisão judicial sobre o PDM também não indicam posição contrária às alterações defendidas pelo atual prefeito, Neucimar Fraga (PR), combatidas pelo Fórum Popular em Defesa de Vila Velha. Aliás, pelo contrário. O demista disse ao jornal A Gazeta que irá avaliar se cria nova lei ou se o município irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Mas não tomou posição.
 
Considerando a lista de ações de Rodney para facilitar a vida das empresas, em detrimento de propostas sustentáveis que de sustentáveis não têm nada, está mais propício para o prefeito eleito seguir na mesma pegada do seu antecessor. Ou até pior. 
 
Com a justificativa de livrar Vila Velha do título de cidade dormitório, áreas de interesse ambiental continuarão a sofrer forte pressão imobiliária. O PDM considerado inconstitucional previa 10 zonas industriais, além de zonas de interesse turístico, representados por empreendimentos imobiliários, shoppings e resorts. Parece ser disso que Rodney está falando. 
 
O outro ponto que gerou reações por todos os lados, a falta de participação popular na elaboração do novo plano, não parece ser área familiar para Rodney. O superdelegado tem a veia democrática? Só vendo pra crer. 
 
De todo modo, a saída é uma só: um olho no peixe, outro no gato. Sem piscar. 





Manaira Medeiros é especialista em Educação e Gestão Ambiental

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 24 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection