Segunda, 27 Setembro 2021

Um pulo a mais

 

É raro ver um aniversário de criança sem a adição de pelo menos um colorido pula-pula. A moda hoje são os castelos, mas dá de tudo, muitos decorados com os personagens preferidos da meninada desenfreada.  Meninada é modo de dizer, porque com a desculpa de vigiar os filhos, os adultos entram também na brincadeira, e se divertem tanto quanto.   
 
Criado em 1959, o pula-pula alcançou a maioridade, ou seja, virou atividade de gente séria. Para desespero de Luly, que depois de muito esforço conseguiu uma vaga na empresa de seus sonhos. Luly é tímida, o que não interfere em sua eficiência profissional e até ajuda, porque não se liga ao social e vive para o trabalho.   
 
Antenada com a modernização, a grande empresa de Luly aderiu a um novo método de reeducação profissional. Nada mais de cursos e seminários, participações em feiras e conferências, métodos esses já obsoletos. A moda agora é o aplicativo das casas infláveis: o simplório pula-pula para promover a descontração e o trabalho de equipe, e a escalada de rocha para incentivar a ascensão profissional.   
 
As empresas pagam o aluguel dos brinquedos e instrutores para orientar nos exercícios. E gastam milhões na brincadeira,  no pressuposto de que o lucro cresce à proporção que o desempenho dos empregados melhora. E se nas disputas pelos cargos mais altos e pelos melhores clientes a turma se atraca, no pula-pula todo mundo descontrai, interage e  participa. 
 
Melhor ainda, no horário de trabalho, quando uns pulinhos a mais ainda ajudam a perder peso. Luly porém  não gosta de exercícios físicos, não se enturma com os colegas e, para completar o currículo, é tímida. Ficar pulando feito criança em dia de aniversário na frente dos chefes e supervisores? Não dá.  
 
Mas quem não participa dos esforços da empresa no auto-desenvolvimento profissional fica com a ficha suja  – temperamento difícil, problemas de adaptação, etc. Entre a cruz e a espada, ou entre um pulinho e uma escalada, Luly tem que aderir. Tentando subir na empresa escalando simbolicamente uma montanha de plástico e ar quente, Luly perde o equilíbrio e cai. 
 
Bem em cima do Dr. Lovado. Que, louvado seja Deus, não se machucou e caiu de amores pela garota. A festa de casamento foi num cerimonial com 40 tipos de brinquedos infláveis, todos brancos, no formato de bolos de casamento e bonecos noivo-noiva, decorados com pombinhas e alianças entrelaçadas. Estão na moda até para casamentos. 

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 27 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/