Sexta, 01 Março 2024

Uma sombra no caminho

A estrada se estica à frente, asfalto esburacado, poças d'água, paisagem ressecada. Ninguém à vista de um lado ou de outro, nenhum carro indo ou vindo. O marcador da gasolina vacila - tanque no finalzinho. Ir ou voltar, eis a questão. Shakespeare disse algo parecido quando mergulhou no lago e sentiu que a água estava muito fria. Persistir ou desistir, eis a questão. Gostou do que disse e voltou correndo para escrever seu Hamlet. E Hamlet não seria o mesmo sem essa perguntinha crucial. O bardo entendia das questões existenciais.

*

Antes dele, Aristóteles já teria meditado sobre a complexidade do saber humano - O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete. A frase teria sido cunhada quando um discípulo informou que o melhor dia da semana para jejuar era a segunda-feira. Eu duvido, disse o mestre. O discípulo se ofende e Aristóteles arremata - Seja sensato, pois o sensato reflete. E entrou para a história. Os gregos estavam sempre certos, garantiram os deuses. Aí inventaram o computador, e ninguém precisa saber mais nada: pergunte ao oráculo Google.

*

Antes dele, Sócrates já teria dito, Só sei que nada sei, e sabendo que nada sei, sei mais do que quem não sabe que nada sabe. A desesperada motorista do carro que avança numa estrada vazia, com o ponteiro da gasolina despencando e uma tempestade ameaçando no horizonte, acha que mesmo sabendo mais do que aqueles que nada sabem está numa fria. Até assaltante, nesse momento e nesse lugar, seria bem-vindo. Só sei que não sabia que a gasolina não chegaria ao próximo posto.

*

Inspirado nesses ousados pensadores, Descartes também queimou alguns neurônios tentando forjar a frase mais famosa de todos os tempos - Penso, logo existo. Um mosquito me mordeu e peguei dengue, portanto o mosquito existe e meu braço coça, mesmo se ele não pensa. Ou talvez pense, mas não fala, e não tem como nos contar o que lhe passou pela cabeça ao me picar. Quantas vezes nos arrependemos de alguma tolice que fazemos e deu errado, e dizemos, Por que não pensei antes de emprestar todo meu dinheiro? Não pensei, portanto, inexisto.

*

Mesmo não sabendo filosofar, meu dinheiro mudou de mãos e não tive grana para encher o tanque. O carro existe, mas não pensa - com um ronco profundo morre em agonia e fico no meio do caminho, sem gás e sem GPS. O sol morrendo aos poucos cria uma sombra comprida sobre o asfalto - eu com minhas teorias filosóficas. Nenhum outro veículo passa por mim, indo ou vindo, e já estou esperando há dias. Hoje acabou a provisão de biscoitos maria. Ser ou deixar de ser - só saberei amanhã.

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 02 Março 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/