Dólar Comercial: R$ 5,02 • Euro: R$ 6,11
Terça, 26 Janeiro 2021

Verdes por fora, cinzas por dentro

 

Na esteira da Rio+20, nove em cada 10 candidatos que disputam as eleições deste ano já aprenderam que é de bom tom adotar o chamado “discurso verde”. Sempre que têm uma oportunidade, os candidatos recorrem ao vocabulário considerado ambientalmente correto para tentar conquistar mais um voto. Algumas expressões já viraram verdadeiros clichês: cidades sustentáveis, diminuição das emissões de carbono, transporte alternativo, energia limpa e por ai vai...
 
Na teoria, fica fácil “ser verde”, mas na prática percebemos que o tom dos candidatos está mais para o cinza opaco. Isso ficou bem claro no convite que a Associação de Amigos da Praia de Camburi (AAPC) fez a três dos seis candidatos que disputam a prefeitura da Capital. 
 
A entidade decidiu chamar Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB), Iriny Lopes (PT) e Luciano Rezende (PPS) para debaterem, junto com os frequentadores da Praia de Camburi, os problemas ambientais que afetam a região norte da cidade. Ficaram de fora, pelos critérios da entidade, os candidatos Gustavo De Biase (Psol), Montalvani (PRTB) e Edson Ribeiro (PSDC). Uma pena, porque quanto mais ampliar esse tema, melhor. 
 
Segundo o presidente da AAPC, Paulo Pedroso, até esta sexta (14) nenhum dos candidatos confirmou presença no debate. O tucano Luiz Paulo foi o único que respondeu ao convite, mas alegou “agenda cheia”. Iriny e Luciano, por enquanto, não disseram nem sim nem não. 
 
Não sabemos se é do conhecimento dos candidatos, mas a AAPC é uma das entidades mais atuantes da cidade. Puxados por Pedrosa, os ativistas da ONG têm feito muito barulho para tentar chamar a atenção das autoridades sobre os problemas ambientais que afetam a qualidade de vida de moradores e frequentadores da Praia de Camburi. 
 
O debate é uma oportunidade para os eleitores conhecerem quais são os planos dos candidatos para a região, que hoje é a mais populosa da cidade. Mesmo sabendo que Camburi representa um significativo quinhão de votos, já que em época de eleição eles entendem melhor essa linguagem, os candidatos ficaram reticentes em aceitar o convite. 
 
Eles devem ter crescido os olhos nos votos, mas ainda estão ponderando se as perguntas que serão feitas pelos próprios frequentadores valerão o risco. 
 
A entidade, para quem não sabe, tem como um dos seus principais desafios combater a poluição quem vem da Ponta de Tubarão, causada pela ArcelorMittal e Vale. Mais recentemente, a ONG passou a questionar também a dragagem de areia da Praia de Camburi, outra agressão ambiental que vem destruindo silenciosamente aquela que já foi um das mais belas praias do litoral capixaba. 
 
A sabatina está marcada para o próximo dia 30 e está prevista para acontecer nas areias da Praia de Camburi, na altura da Ilha do Socó. A proposta de fazer o debate in natura deve ter sido uma estratégia da entidade para pôr os candidatos em contato com a realidade. Uma chance imperdível para eles tentarem mudar a cor interna do cinza opaco para o verde esperança.

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 26 Janeiro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection