Dólar Comercial: R$ 5,56 • Euro: R$ 6,58
Quarta, 21 Outubro 2020

​CNM divulga previsão de recursos da Lei Aldir Blanc para municípios

congo_mirim_serra_Jansen_Lube_SecomPMS Jansen Lube - Secom/PMS

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM) divulgou uma estimativa sobre os valores a serem repassados a estados e municípios pela Lei Aldir Blanc, aprovada na última quinta-feira no Senado e enviada para sanção presidencial. No novo cálculo, cerca de R$ 55 milhões do total de R$ 3 bilhões seriam destinados para o Espírito Santo, sendo metade para governo do Estado e outra metade para os municípios. Balanceando percentuais entre o fundo de participação dos municípios e a população de cada um, os valores no Espírito Santo vão desde R$ 49 mil a Divino de São Lourenço a quase R$ 3,2 milhões para a Serra. Os dados estão disponíveis aqui.

A forma de distribuição dos recursos e suas destinações serão discutidos neste sábado, às 17h, em webconferência puxada pela Cooperativa de Espaços de Arte e Cultura Independentes da Grande Vitória (Coop-GV), contando com presença de trabalhadores da cultura e gestores estaduais e municipais, que estão se articulando para compartilhar dúvidas e soluções sobre os rumos diante das necessidades da lei.

Coletivos cobram prefeituras 

Facebook

Diante da gravidade do momento, o Coletivo Sinestesia – Criatividade Coletiva, de Guarapari, enviou uma carta à prefeitura municipal na qual cobra algumas medidas. Num deles, solicita informações sobre as medidas do município para recebimento de recursos da Lei Aldir Blanc, cobrando medidas para aprovação do Conselho Municipal de Políticas Culturais, emperrado há tempos e considerado passo importante para a transparência na aplicação do recurso federal, junto à criação de um fundo e plano municipal de cultura. O Sinestesia também está puxando uma carta da cultura aos municípios com pedido similar e já reunindo dezenas de assinaturas de diversos municípios.

No outro ofício, o coletivo de Guarapari pede informações sobre possíveis danos na estruturas das ruínas da Igreja Nossa Senhora da Conceição, que sofreu um princípio de incêndio em abril. Pedem também a restauração do local, que virou cenário de um dos mais importantes eventos independentes do município, o Sarau Ruínas, organizado pelo Sinestesia.


Samba e rap no combate ao Covid-19 

A capixaba Monique Rocha é uma das 31 intérpretes de vários estados brasileiros que participa do clipe "Nesse vírus dou rasteira (Malandra Partideira)", composição de mulheres sambistas no melhor estilo "partido alto" para conscientizar sobre os cuidados sobre a Covid-19.

Alem disso, está rolando até o dia 27 de junho no Instagram da Associação GOLD a votação do concurso Freestyle 45 Segundos de Prevenção ao Coronavírus. Os vídeos mais curtidos serão premiados.

Clube de leituras literárias sobre pandemias 

Um novo projeto de extensão da Ufes vai discutir obras literárias relacionadas com pandemias, pestes e epidemias por meio de um clube de leitura com uma obra por mês entre julho e novembro. Sob coordenação da professora de Educação e Letras Maria Amélia Dalvi, os próprios inscritos vão votar para a seleção de quatro entre as obras A dança da morte (Stephen King), A máscara da morte rubra (Edgar Allan Poe), A peste (Albert Camus), Ensaio sobre a cegueira (José Saramago), Nêmesis (Philip Roth), O amor nos tempos do cólera (Gabriel García Márquez), O último homem (Mary Shelley), Um Ano de Milagres (Geraldine Brooks) e Um diário do ano da peste (Daneil Defoe). A participação é gratuita e recomendada para maiores de 12 anos. As inscrições podem ser feitas até 19 de junho por formulário virtual.

#VidasNegrasImportam 

A fotógrafa e tatuadora Luara Monteiro está realizando uma série de desenhos com o tema #vidasnegras. A artista usou seus traços para retratar o rosto de pessoas negras vítimas de assassinatos nos últimos tempos, desde o estadunidense George Floyd aos meninos Ágatha, João Pedro e Miguel e aos irmãos capixabas Ruan e Damião Reis, entre outros. As obras estão publicadas na seção em destaque em seu Instagram.

 Manguerê e IAC fazem campanhas de doações

Com 20 anos de história, o Instituto Manguerê está pedindo doações para ajudar na manutenção da Casa Azul, espaço cultural em São Pedro I, Vitória, onde acontece o projeto Congo na Escola, o Ponto de Leitura Tia Laura e o Ponto de Cultura Manguerê. Diante da crise da pandemia, os recursos financeiros se esgotaram e a entidade está com dificuldades para pagar os custos de manutenção a sede. "Pra que esse espaço continue sendo referência para tantas pessoas da comunidade contamos com sua colaboração, qualquer valor é super bem vindo e nos ajudará muito nesse momento de dificuldade, tão delicado e triste para todos nós", disse o músico e produtor cultural Fabio Carvalho, um dos gestores do espaço.

Outra entidade cultural em campanha para doações é o Instituto Aprender Cultura (IAC), de Flexal, em Cariacica. Mas no caso o corre é pra o projeto "Cultura e Informação, Fome Não" que participa do programa Matchfund Enfrente do portal Benfeitoria, que a cada real doado contribui com outros dois, triplicando o valor. O objetivo do IAC é receber R$ 10 mil em doações, que seriam convertidos em R$ 30 mil para o projeto que vai distribuir 170 cestas básicas simples, kit agroecológicos e kit de higiene e prevenção para famílias necessitadas na Região I de Cariacica. As informações estão na página benfeitoria.com/culturaeinformacao.

 Oficina de vídeo online

O Cineclube Ambiental, de Cariacica, realiza na quarta-feira, dia 10 de junho, uma Web Oficina de Produção de Vídeo com Avelino Regicida, da produtora paulista Do Morro Produções. A atividade acontece das 19h às 20h30 por meio de sala no Google Meet. O encontro terá um debate sobre a produção do vídeo "Um Breve Relato", disponível no YouTube.

 Festival de Muqui abre inscrições 

O Festival de TV e Cinema de Muqui (Fecim) prepara sua nona edição, programada para acontecer de 12 a 14 de novembro. As inscrições para exibições no evento foram abertas nesta semana para curta-metragens, pilotos de séries de TV e projetos multiplataformas produzidos entre 2018 e 2020. A ficha de inscrição online está disponível aqui. A previsão é da organização é que haja parceria com plataforma de streaming e ações de marketing na fachada das casas do Sítio Histórico de Muqui.

Divulgação

Formemus será virtual 

Mais um evento que definiu por um formato virtual para não deixar de ser realizado neste ano é o Formemus, maior atividade de formação musical do Estado. A data será 14 e 15 de agosto com painéis, workshops, showcases e mostra de videoclipes. Mais informações em www.formemus.com.br.

Semana Nacional de Arquivos vem aí 

De 8 a 14 de junho acontece a "4ª Semana Nacional de Arquivos", com diversas atividades por todo o Brasil. No Espírito Santo o evento terá como título "Temas para a Arquivologia e História em tempos de Pandemia". Em parceria entre o Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (Apees) e o Departamento de Arquivologia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), serão realizadas "lives" diárias de 8 a 10 de junho, às 17h. Confira a programação.

Veja mais notícias sobre Cultura.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 21 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection