Terça, 21 Mai 2024

Evento no domingo de Páscoa antecede o Carnaval de Congo de Roda d'Água

banda_de_congo_FotoElaineDalGobbo Elaine Dal Gobbo

O Carnaval de Congo de Roda d'Água, em Cariacica, já extrapola os limites do município e atrai visitantes de diversas partes. Uma tradição que começou a ser resgatada em 2003 ainda não tem a mesma visibilidade, mas aos poucos vem ganhando cada vez mais espaço. É o pré-carnaval de congo, que acontece sempre no domingo de Páscoa, também na região de Roda d'Água.

Elaine Dal Gobbo

O pré-carnaval será no dia 31 de março, com concentração às 11h, na sede da banda de congo São Sebastião de Taquaruçu. De lá, os foliões sobem para o Encantado, região de Roda d'Água na qual, segundo a bailarina da banda de congo, Fabiana Siqueira, surgiu o personagem João Bananeira. Depois, será feito o retorno à sede da banda, onde os tambores do congo continuarão a tocar.

Perda da tradição

À coluna, Fabiana explicou que antes do Carnaval de Congo, que acontece sempre no dia de Nossa Senhora da Penha, havia o pré-carnaval, com festividades no Domingo de Ramos e no Domingo de Páscoa. Contudo, com o passar do tempo, o Carnaval de Congo começou a crescer demais e a tradição dos festejos que o antecediam acabou se perdendo. Foi assim, informa, durante cerca de 40 anos.

Resgate

O resgate da tradição começou a ser feito em 2003, quando o mestre da banda de congo São Sebastião de Taquaruçu, Valdeci Ferreira Vieira, e sua família, decidiram fazer o festejo popular no Domingo de Páscoa. Desde então, ele vem ocorrendo todo ano, exceto em 2020 e 2021, por causa da pandemia da Covid-19. O resgate, afirma Fabiana, se deu após pessoas da comunidade resgatarem as lembranças da festa e destacarem a importância do seu retorno.

Quem sabe?

Como a tradição era de pré-carnaval no Domingo de Ramos e no Domingo de Páscoa, a coluna questionou se há discussões sobre a possibilidade de resgatar a realização do festejo também no primeiro, que abre a Semana Santa. De acordo com Fabiana, está sendo discutida essa possibilidade já para o ano que vem. Então, quem sabe em 2025 teremos mais um evento antecedendo o Carnaval de Congo? Tomara que sim!

Ataques

Redes Sociais

Por falar em Roda d'Água, os ataques feitos ao personagem João Bananeira em páginas alusivas a Cariacica no Facebook causaram revolta entre a classe artística do município. O personagem foi chamado de "satânico" e o comparado a um "demônio vodu". A reação foi imediata, com artistas respondendo na publicação que trata-se de um ícone da cultura de Cariacica, que, inclusive, é patrimônio imaterial do município, além de apontarem intolerância religiosa na publicação.

Ataques II

PMC

Os ataques aconteceram após a Prefeitura de Cariacica estampar o João Bananeira na capa dos cadernos distribuídos aos estudantes da rede municipal de ensino, conforme a coluna já havia noticiado. Na ocasião, destaquei aqui a relevância da iniciativa da gestão municipal, por se tratar de um gesto simples, mas que vai instigar os estudantes e suas famílias a querer saber quem é o personagem e até mesmo a escola a abordar sobre aspectos da cultura local nas unidades de ensino.

Ataques III

Pelo visto, a imagem de João Bananeira na capa dos cadernos realmente tem chamado a atenção. Pena que há aqueles que agem movidos pela intolerância religiosa, desrespeito e fanatismo, fazendo postagens como essa. Entretanto, da mesma forma que a iniciativa da prefeitura tem suscitado ataques violentos ao personagem, certamente também desperta a curiosidade de quem respeita e aprecia a cultura do município. É torcer para que esse grupo seja maior do que o primeiro e, mais do que isso, multiplicador do conhecimento adquirido.

Congo Aleluia

Divulgação

Ainda no ritmo do congo, a coluna noticia que, no dia 30 de março, a partir das 15h30, a banda de congo Raízes da Barra, na Barra da Jucu, em Vila Velha, realiza o Congo Aleluia. A concentração será na rua Reginaldo Leão. Assim como o pré-carnaval de Congo de Roda d'Água, trata-se de um evento tradicional, mas que foi enfraquecendo com o passar do tempo, até que deixou de ser realizado durante 10 anos. Seu resgate vem sendo feito há três anos pela banda de congo Raízes da Barra, que receberá outras bandas de congo, como a Amores da Lua, de Vitória.

Festival da Torta Capixaba

Leonardo Silveira/PMV

Como nesta época do ano congo lembra Semana Santa, que lembra Torta Capixaba, uma boa pedida é o Festival da Torta Capixaba, na Ilha das Caieiras, em Vitória, da próxima quinta-feira (28) até o domingo de Páscoa (31), das 10h às 18h. Trinta e três barracas, junto a 12 restaurantes, irão participar das vendas dos alimentos, que inclui a estrela da festa: a Torta Capixaba.

Atrações musicais

O Festival contará com 12 atrações musicais durante os quatro dias do evento. Na quinta-feira (28) haverá apresentação de jazz instrumental, com Gean Pierre; e pop rock, com Felipe Pelissari, a partir das 11 horas. A sexta-feira (29) contará com quatro apresentações: Alexandre Borges Quinteto abre a programação às 10 horas, seguido de Thiago Vieira Trio, às 12 horas. Na sequência, Nana Marchant e Trio se apresentam às 14 horas, e Nanno Vianna às 16h.

Atrações musicais II

No sábado de aleluia (30), a Orquestra da Fundação Beneficente Praia do Canto apresenta o projeto "Som das Caieiras para os Capixabas", às 10 horas. Depois, Chorou Bebel sobe ao palco às 12 horas, seguida da Banda L-20. Fechando a programação cultural do Festival da Ilha das Caieiras 2024, no domingo (31), Ana Rita e Banda apresentam o show "Para sempre Chico Buarque" às 10 horas, Beco 48 mistura MPB e Pop Rock Internacional, às 12h. A última atração do evento será Duo Severino, às 14h.

Até a próxima coluna!

E-mail:

Veja mais notícias sobre Cultura.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 21 Mai 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/