Segunda, 18 Outubro 2021

​Ofício das Paneleiras de Goiabeiras é revalidado como Patrimônio Cultural do Brasil

paneleira_goiabeiras_iphan Iphan
O Ofício das Paneleiras de Goiabeiras, em Vitória, foi revalidado como Patrimônio Cultural do Brasil. O processo foi apreciado e aprovado por unanimidade nessa terça-feira (31), durante a 97ª reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Também foram revalidados o Tambor de Crioula do Maranhão e o Frevo de Pernambuco. Antes da deliberação do Conselho, os procedimentos dos três bens culturais passaram por consulta pública e os pareceres de reavaliação foram apreciados pela Câmara Setorial do Patrimônio Imaterial do Iphan.

Os saberes relacionados à fabricação artesanal das panelas de barro estão incluídos no Livro de Registro de Saberes desde o ano 2002. Foi o primeiro bem registrado pelo Iphan como Patrimônio Imaterial. 

A produção envolve técnicas tradicionais e matérias-primas naturais. O trabalho é realizado principalmente por mulheres, que repassam seus conhecimentos às filhas, netas, sobrinhas e vizinhas.

As panelas são feitas de argila e modeladas à mão. Depois de secas ao sol, são polidas, queimadas ao ar livre e impermeabilizadas com tinta de tanino. A técnica é herança cultural Tupi-guarani e Una.

Os bens culturais registrados como Patrimônio Cultural passam pelo processo de revalidação a cada dez anos, de acordo com o estabelecido no Decreto nº 3.551/2000. O objetivo é investigar sobre a atual situação do bem cultural e verificar mudanças nos sentidos e significados atribuídos. A revalidação também busca dar subsídio a ações futuras de proteção e valorização do patrimônio imaterial.

Os processos, segundo o Iphan, não visam destituir o título de Patrimônio Cultural do Brasil de qualquer bem registrado. A retirada do título só ocorre, em hipótese remota, se os próprios detentores assim desejarem. Esses são convocados a participar de todas as etapas do processo de revalidação e contribuem com a elaboração do Parecer de Reavaliação, disponibilizado para manifestação dos detentores e a toda a população.

Presidido pela presidente do Iphan, Larissa Peixoto, o Conselho Consultivo é composto por representantes de instituições públicas e privadas, bem como por representantes da sociedade civil. Cabe ao colegiado examinar, apreciar e decidir sobre questões relacionadas a tombamentos e registros de bens culturais de natureza imaterial, além de opinar sobre saídas temporárias do País de bens protegidos.


Outros bens

O Tambor de Crioula é registrado como Patrimônio Cultural Imaterial desde 2007. Tradição em grande parte dos municípios maranhenses, a manifestação envolve dança circular, canto e batuque de tambores. Tem origem afro-brasileira e é dançada em louvor a São Benedito, em praças, terreiros e festas. O ponto alto da dança é a punga ou umbigada – ato em que as dançadeiras se cumprimentam batendo barriga com barriga.

Já o Frevo, tradicional em Recife e Olinda (PE), é apontado como expressão musical, coreográfica e poética. Foi registrado como Patrimônio Cultural do Brasil em 2007 e tem origem no final de século XIX. A manifestação reúne melodia e criatividade vindas de outros gêneros. Inicialmente, era praticado por bandas militares, escravos recém-libertos, capoeiras e a nova classe operária de Recife do começo do século XX. O Frevo também está na lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco.

Veja mais notícias sobre Cultura.

Veja também:

 

Comentários: 1

Agmarcarioca amigo do mito em Domingo, 05 Setembro 2021 17:56

Agradecer as paneleiras,minhas panelas comprada ai fazem sucesso aqui no Rio,quando eu for ai vou comprar uma para presentiar meu amigo cavalao (mito)

Agradecer as paneleiras,minhas panelas comprada ai fazem sucesso aqui no Rio,quando eu for ai vou comprar uma para presentiar meu amigo cavalao (mito)
Visitante
Segunda, 18 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/