Domingo, 14 Julho 2024

Pimenta Carioca continua sem previsão de retorno das atividades musicais

pimenta_carioca_FotoDivulgacao Divulgação

A gestão de Lorenzo Pazolini (Republicanos) se reuniu com Alexandra Pimenta Corrêa da Silva, proprietária do Bar Pimenta Carioca, em Jardim da Penha, cujas atrações musicais foram proibidas desde o início de maio. Participaram o secretário municipal de Cultura, Edu Henning, e o de Meio Ambiente, Tarcísio Foeger. Ficou acordado que o bar deverá apresentar um projeto de redução de ruído, portanto, não há previsão de retorno das apresentações musicais. 

Divulgação

Alexandra afirma que a gestão assumiu o compromisso de analisar rapidamente o projeto, que deve ser feito com base nos critérios do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Comdema), e encaminhado para a prefeitura. O argumento da gestão  municipal para a proibição de atrações musicais foi a existência de três multas do Disque Silêncio, sendo que, informa a proprietária, uma foi paga e nas outras duas houve pedido de recurso, que foi negado somente depois da proibição, que, portanto, foi feita quando o recurso ainda estava em análise.

Polêmica

A proibição de atrações musicais gerou polêmica pelo fato de o bar ser conhecido por ser frequentado por pessoas de orientação política mais progressista, indo na contramão do perfil da gestão Pazolini. Portanto, para muitos, trata-se de um silenciamento das atividades culturais que não vão ao encontro do viés ideológico da administração municipal. Músicos e frequentadores do Bar organizam uma petição pública (acesse aqui) em repúdio à situação.

Celeridade

A apresentação e aprovação do projeto de redução de ruído pode pôr fim ao impasse, mas não necessariamente de forma célere. Além do tempo que a técnica ambiental contratada pelo bar terá que levar para finalizar seu projeto, tem o tempo de análise na Prefeitura. Os gestores dizem que será rápido. Vamos aguardar para ver. 

Mostra Fotográfica

Taynara Barreto

Terminam nesta terça-feira (11) as inscrições para a Mostra de Fotografia Capixaba: A cidade se faz no caminho, cujo lançamento será em 28 de junho, por meio de uma exposição virtual e intervenção na cidade de Alegre, no sul do Espírito Santo. Serão selecionadas fotos de ruas capixabas, tiradas por fotógrafos amadores e profissionais, maiores de 18 anos, de todo o Estado. As imagens podem ser enviadas até 11 de junho pelo site.

Proposta

A iniciativa, idealizada pela fotógrafa Taynara Barreto, de Alegre, busca responder a perguntas como "o que atravessa os fotógrafos capixabas em seus caminhos? Quais memórias as cidades preservam?". A ideia é que fotógrafos de todo o Estado enviem olhares sobre suas cidades do coração para a exposição. O resultado será publicado dia 15, e vai virar exposição on-line, no site do projeto, e presencial, nas ruas de Alegre.

Teatro musical

Comunità

O Festival da Cultura Italiana Noi Siamo La Storia, ocorrido de 31 de maio a 2 de junho, na Praça do Papa, em Vitória, teve como um de seus pontos altos o belíssimo Teatro Musical Noi Siamo La Storia, do maestro e cantor lírico Inarley Carletti. A atração contou a história da imigração italiana desde a Guerra de Unificação, passando pela chegada ao Brasil e a construção de uma nova vida nesse país. Infelizmente, quem não viu não terá previsão para ver, e quem quer ver de novo também não, pelo menos no porte da apresentação feita no Festival, que contou com mais de 400 pessoas.

Teatro musical II

 À coluna, o maestro relatou que o espetáculo, criado em 2022 para uma apresentação em Santa Teresa, conta com 300 artistas, tendo se apresentado novamente, na mesma cidade, em 2023. Agora está com apresentação marcada para os dias 14 e 15 de junho na XXXIII Festa do Imigrante Italiano de Santa Teresa. Estão previstas, ainda este ano, apresentações nos municípios de Nova Venécia, Linhares, Aracruz, Castelo, Conceição do Castelo, Marechal Floriano, Domingos Martins, Colatina e Venda Nova do Imigrante. Neste último, será na 46ª Festa da Polenta, que acontece em outubro.

Regionalização

Inarley também explicou que, em cada cidade, metade do elenco é local, que se prepara para a apresentação cerca de dois meses antes, por meio de oficinas que acontecem em espaços como escolas e projetos sociais. Além disso, há incorporação, nas cenas, de elementos da cultura local. Em Venda Nova do Imigrante, por exemplo, tem a cena do tombo da polenta, considerado um dos pontos altos da Festa da Polenta. Já em Santa Teresa, a virada da taiadela, em Conceição do Castelo, o encontro de raças, com italianos e portugueses.

Preservação da cultura

A iniciativa da regionalização e das oficinas pré-apresentação são importantes para preservação da cultura local, principalmente por envolver jovens e crianças. Durante o Festival, foi perceptível a presença desse público, mas muito principalmente de pessoas de mais idade, o que mostra que é preciso criar alternativas para estimular, em meio às novas gerações, um protagonismo nas atividades de preservação da cultura que os imigrantes trouxeram para o Espírito Santo.

Livro de Poesias

Já está na pré-venda Suja, o primeiro livro de poesias da escritora Aline Dias. Com selo da Editora Maré e prefácio da escritora Carla Guerson, traz textos irônicos, amorosos, com temas como mapa astral, beijo na boca, a relação entre a bunda e a postura, e até uma cartomante que atende pelo twitter. Na pré-venda o valor do livro é R$ 30,00. Ele pode ser adquirido no site da editora. O lançamento está previsto para julho.

Até a próxima coluna!

E-mail:

Veja mais notícias sobre Cultura.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Segunda, 15 Julho 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/