Domingo, 26 Junho 2022

Projeto Tirante estabelece diálogos entre arte e arquitetura

monumento_ao_horizonte_Felippe_Moraes

Em arquitetura, o tirante é um elemento, muitas vezes formado por cabos de aço, usados para dar sustentação a estruturas. "Tem a função de segurar, estruturar, mas também de tensionar", explica a arquiteta Clara Sampaio, curadora da exposição virtual Tirante, que está disponível online até 31 de março, reunindo trabalho de seis artistas dentro da programação do Museu de Arte do Espírito Santo (Maes).

Tirante é então, conta Clara, uma metáfora para pensar metaforicamente como arte e arquitetura se relacionam e como tensionam questões a partir dessa inter-relação. Além dela, expõem no site www.tirante.org os artistas Felippe Moraes, co-curador, Anton Steenbock, Fredone, Marcelo Venzon e Raquel Garbelotti. São arquitetos que foram para o campo das artes ou artistas que transitam e dialogam com questões que envolvem a arquitetura.

Projeto para "Monumento ao Horizonte" (2016), de Felippe Moraes. Imagem: Divulgação

Textos, intervenções, vídeos, fotografias, são alguns dos artifícios usados para adaptar o projeto originado em 2018 para um formato digital, já que o edifício do Maes se encontrava fechado por conta de obras e chegou a ter sua reabertura adiada por conta do momento de pandemia. A nova proposta incluiu ainda o trabalho de dois artistas que não estavam no projeto inicial, Fredone e Marcelo Verzon.

Questões como a especulação imobiliária, a presença do pó de minério no cotidiano de capixabas ou o uso e intervenções em espaços públicos e privados fazem parte dos trabalhos. Além de poder navegar pela exposição, os participantes também podem acessar o programa público Espera, coordenado por Amanda Amaral e Lindomberto Ferreira Alves, que contará com encontros também online com diversos artistas e pesquisadores para dialogar sobre os temas.

Itaparica Beach Resort (2021), obra de Marcelo Venzon com vídeos e textos. Imagem: Divulgação

Espera, que dá título à série de entrevistas e conversas, também se refere a um elemento da arquitetura, muito encontrado nos terraços capixabas, aponta Clara Sampaio, em referência aos vergalhões expostos na expectativa futura de concretizar a construção de um novo pavimento, o que deve ser lido novamente como uma metáfora para pensar os caminhos e futuros da arte no mundo contemporâneo.

As atividades do programa público serão desenvolvidas por meio do Instagram oficial da Tirante, com participação de Gabriela Leandro, Mauro Neri, Ricardo Basbaum, Juan Gonçalves, Rebeca Ribeiro e Thiara Pagani, contribuindo para refletir sobre questões interdisciplinares referentes às artes e nossa sociedade.

Secult

Maes reaberto com exposição

O Museu de Arte do Espírito Santo, que leva o nome de Dionísio del Santo, voltou a abrir as portas em dezembro de 2020 após a conclusão das obras estruturais que duraram quatro anos. Por conta do momento de pandemia, o museu está funcionando de forma híbrida, com número de visitantes limitados e necessidade de agendamento para grupos de até 10 pessoas, além das atividades realizadas de forma virtual.

Até 3 de março, o local abriga a exposição Vix Estórias Capixabas, com obras de 25 artista locais, nacionais e internacionais que se relacionam ou dialogam com o trabalho de Elpídio Malaquias e Dionísio del Santo. O funcionamento é de terça a sexta-feira de 10h às 16h e nos sábados, domingos e feriado de 12h às 16h. O Maes está localizado na Avenida Jerônimo Monteiro, número 557, no Centro de Vitória. O telefone para contato é (27) 3132 8393.

Veja mais notícias sobre Cultura.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 26 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/