Domingo, 19 Setembro 2021

Após seis rodadas de negociação, metalúrgicos entram em greve no Estado

max_celio_de_carvalho_CreditosDivulgacao Divulgação

Depois de seis rodadas de negociação com o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do Espírito Santo (Sindifer), os trabalhadores metalúrgicos entraram em greve nesta segunda-feira (26). O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Espírito Santo (Sindimetal), Max Célio de Carvalho, afirma que o Sindifer não quer atender nenhuma reivindicação da categoria e ainda quer modificar 11 cláusulas do Acordo Coletivo, retirando direitos.

Os trabalhadores reivindicam 5% de reajuste; cartão alimentação de R$ 590,00; plano de saúde a custo zero para os empregados e seus dependentes; e manutenção de todas cláusulas do acordo. Entretanto, segundo Max, o Sindifer propôs 1% de reajuste; que seria aplicado também no cartão alimentação, passando a ser de R$ 358,55; e manutenção do percentual de até 50% no custeio do plano de saúde por parte do trabalhador.

Ele relata ainda que, entre as mudanças que o Sindifer quer fazer em 11 cláusulas do Acordo, estão as que impõem a retirada do cartão alimentação nas férias e redução da hora extra. Atualmente, o percentual pago pelas horas extras são de 75% em dia de semana e 100% aos finais de semana e feriado. A proposta do Sindifer, afirma, é de 50% e 75%, respectivamente.

A negociação abrange cerca de 15 mil trabalhadores, entre eles os de complexos da Jurong, Vale, Arcelor e Samarco. "Estamos falando de setores que sofreram com a crise, mas têm gordura, como o siderúrgico e o de mineração. A Vale, por exemplo, está prestes a fazer o maior lucro de sua história. Tem como atender as reivindicações e manter as conquistas", defende.

Max aponta que a proposta feita pelo Sindifer abrange também empresas de produto final, como Brametal e Marcopolo, e que têm ocorrido negociações específicas em prol de outros grupos de trabalhadores, não contemplados pelo acordo do Sindifer. Entre eles os metalúrgicos da Simec, antiga ArcelorMittal Cariacica.

A Simec já sinalizou, nesta segunda-feira (26), manutenção do acordo e abono no valor de R$ 800,00. Outras empresas, com as quais o sindicato já fechou, mantiveram benefícios, fizeram reposição salarial e avançaram em algumas cláusulas, como a Guerdal e o Setor Naval. O Sindifer solicitou negociação junto à Superintendência Regional do Trabalho, marcada para esta quarta-feira (28). 

Veja mais notícias sobre Direitos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 19 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/