Sexta, 19 Agosto 2022

Associação Gold entrega cestas básicas para familiares de presos em Viana

interno_cesta_redessociais Associação Gold

O Grupo Orgulho, Liberdade e Dignidade (Associação Gold) realiza, neste sábado (4), uma ação de entrega de cestas básicas para familiares de pessoas em privação de liberdade na Penitenciária de Segurança Média 2, em Viana. Inaugurada este ano, a unidade é referência à população LGBTQIA+.

"Nas visitas que a Gold faz às unidades, os internos têm preocupação com familiares, porque alguns deles trabalhavam sustentando essas pessoas. Então sempre tinha essa demanda de pedir ajuda para um familiar sem condições, por isso decidimos fazer o projeto", ressalta Deborah Sabará, coordenadora de ações e projetos da Associação Gold.

Ao todo, mais de cem cestas básicas serão entregues neste sábado, domingo (5) e nos dias 11 e 12 de dezembro. A doação será feita para as famílias dos internos que têm direito à visita.

Outro motivo para a realização do projeto é o contexto de vulnerabilidade social agravado pela pandemia da Covid-19. Desde o ano passado, a associação tem realizado uma série de projetos para prestar apoio a pessoas LGBTQIA+ em situação de rua, tendo distribuído mais de 10 toneladas de alimento. "Com a pandemia, a gente intensificou projetos de alimentação, como a entrega de kit lanches e cestas básicas", acrescenta Deborah.

Os projetos continuam neste fim de ano. No dia 22 de dezembro, a Gold irá realizar a terceira ceia de natal para a população em situação de rua. A edição será na Vila Rubim, em Vitória. A entidade também está recolhendo doações para a realização do evento, que podem ser enviadas via pix (27 99956-6004) ou Picpay (Associação Gold).

Penitenciária referência LGBTQIA+

A Penitenciária de Segurança Média 2 (PSME2) foi inaugurada pela Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) em maio de 2021, com a previsão de atender pelo menos 175 pessoas já autodeclaradas LGBTQIA+ do complexo de Viana.

O complexo, que antes tinha apenas uma ala específica para esse público, passou a ter uma unidade de referência para presos em regime provisório, fechado e semiaberto. Na ocasião, uma portaria publicada no Diário Oficial também definiu procedimentos para atendimento ao público LGBTQIA+

"Dentre as instruções, o documento estabelece diretrizes quanto ao direito ao tratamento isonômico às pessoas presas LGBTI+; informações sobre identidade de gênero, sobre o direito de serem tratadas pelo nome social, bem como o direito à utilização de vestuário e corte de cabelo em acordo com a identidade de gênero, além dos demais procedimentos realizados nas unidades e a capacitação de servidores em políticas públicas LGBTI+, no combate à LGBTfobia", informou a Sejus.

Veja mais notícias sobre Direitos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 19 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/