Quinta, 18 Agosto 2022

Autoridades locais e internacionais abrem Seminário de Direitos Humanos

O Seminário Internacional Justiça e Direitos Humanos foi aberto na manhã desta segunda-feira (5), pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJES), desembargador Pedro Valls Feu Rosa. A solenidade reuniu autoridades e representantes de organismos internacionais para discutir os direitos humanos e a relação da proteção da dignidade humana com a sociedade. 

 
Antes da abertura oficial do evento, as autoridades presentes concederam uma entrevista coletiva. O desembargador Pedro Valls afirmou que a pauta de direitos humanos deveria ser de mais fácil reflexão na sociedade, no entanto, paradoxalmente, é mais difícil que a população de maneira geral assimile que a proteção e defesa da dignidade humana é direito de todo o cidadão. 
 
Já o presidente do Comitê da Organização das Nações, Unidas (ONU) para os Direitos das Crianças e dos Adolescentes, Jean Zematten – primeiro palestrante do evento – disse na coletiva que o principal desafio do comitê enquanto órgão de proteção e defesa dos direitos dessa parcela da população é não tratar a criança como “coisa”, mas como pessoa com direitos. 
 
O seminário foi aberto com a fala do presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos (CEDH), Gilmar Alves Ferreira, que destacou a importância das comissões criadas no âmbito do TJ, como a Comissão de Enfrentamento e Combate à Tortura e a central de atendimento às vítimas de crimes – criada nesta segunda-feira – e de execução. Ele disse ainda que a iniciativa de realização do seminário deveria ser adotada em todo o País. 
 
Ainda na abertura do evento, a vice-presidente da Câmara dos Deputados, Rose de Freitas (PMDB), que representava o Congresso Nacional, lembrou que os governos do Estado passam, mas a violência continua. A parlamentar ressaltou, ainda, que tempos atrás, se matava uma mulher por semana no Estado e atualmente se matam duas por dia. 
 
Ela disse ainda que muito se fala que o Estado está modernizando o sistema penitenciário, mas que até agora não viu tal modernização. A deputada lembrou ainda das denúncias levadas à ONU sobre o total abandono do sistema penitenciário do Estado, que expôs o quadro precário em que permaneciam os presos nos contêineres transformados em celas. 
 
Encerrando a abertura do evento, o presidente do TJES lembrou que palavras não bastam, é preciso implementar ações que garantam a preservação dos direitos humanos no Estado. Ele disse que no Estado estão sendo dados passos na direção certa, de forma integrada os poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, além da seccional capixaba da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-ES) e do Ministério Público Estadual (MPES), que segundo ele, agem no combate à tortura, no enfrentamento dos atos de improbidade ou na jornada por uma maior transparência. 
 
“Temos buscado colocar em dia a agenda de cidadania e a fazer nossa pequena parte. Hoje damos mais três passos na direção correta”, disse o desembargador, enumerando a criação do serviço de atendimento judiciário às vítimas de crimes – que serão atendidas por profissionais qualificados. A segunda novidade anunciada por Pedro Valls foi a entrada em funcionamento da TV Justiça estadual, com programação voltada para a participação popular. A terceira é a realização do Seminário Internacional, em que se discute cidadania com algumas das mentes brilhantes do planeta. Além disso, se debate como livrar da desgraça milhares de semelhantes.  

Veja mais notícias sobre Direitos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 18 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/