Domingo, 19 Setembro 2021

Cufa-ES participa de campanha nacional de combate à fome na pandemia

cufaes_alimentos_face Redes sociais
A Central Única das Favelas no Espírito Santo (Cufa-ES) participa da campanha Panela Cheia, lançada nesse domingo (4) em todo o Brasil. A iniciativa arrecada doações para famílias em contexto de vulnerabilidade durante a pandemia do coronavírus. Só em território capixaba, mais de 157 mil pessoas vivem em situação de extrema pobreza, de acordo com os últimos dados do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

A campanha é organizada nacionalmente pela Cufa e as entidades Gerando Falcões e Frente Nacional Antirracista. De forma conjunta, a iniciativa pretende arrecadar valores que serão convertidos em 2 milhões de cestas básicas, distribuídas em todo o território nacional. A União SP e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura(Unesco) também apoiam o projeto.

As doações devem ser feitas por meio do site nacional da campanha. Na plataforma, os interessados podem escolher a instituição para a qual vão doar. Após o recebimento, as organizações serão responsáveis por direcionar as cestas básicas às comunidades onde atuam.

A pandemia e a fome

O Movimento Panela Cheia é lançado em um contexto de aceleração da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Para além da crise sanitária, as consequências da pandemia chegam às favelas com um agravante: a fome.

De acordo com uma pesquisa do Data Favela, uma parceria da Cufa com o Instituto Locomotiva, 68% das pessoas que moram em comunidades de todo o Brasil possuem uma média de menos de duas refeições diárias (1,9%). O estudo também apontou que, ao longo de 15 dias, em pelo menos um deles, 68% dos moradores não tiveram dinheiro para garantir a alimentação.

A situação não é diferente no Espírito Santo. O presidente da Cufa em território capixaba, Gabriel Costa, recebe relatos desse contexto diariamente. "Favela é favela em todo lugar. Nós atendemos pessoas de Montanha, São José do Calçado. São casos de pessoas sem um grão de arroz no armário", declara.

Os últimos dados divulgados pelo Instituto Jones dos Santos Neves indicam que 157 mil pessoas vivem em situação de extrema pobreza no Espírito Santo. Os números consideram capixabas que possuem renda mensal inferior a R$ 143,50, considerando dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua de 2018.

A pesquisa não alcança os impactos da pandemia, por isso, os números podem ser ainda maiores. Gabriel afirma que o problema está mais próximo do que as pessoas imaginam. "Na maioria das vezes, isso é uma realidade interna e os muros não permitem que a gente veja. Do lado de fora, as pessoas não conseguem identificar o que está acontecendo dentro das casas", ressalta.

Ações no Estado

Desde o início da pandemia, a Central Única das Favelas no Espírito Santo (Cufa-ES) tem tentado amenizar os impactos de uma crise que tem afetado os mais pobres de forma fatal. Até o momento, 215 mil famílias foram atendidas em todo o Estado, por meio do projeto "Mães de Favela". Só em 2021, foram mais de 20 mil lares alcançados.

Em 2020, as ações foram divididas em três fases, contando com a distribuição de cestas básicas, botijas de gás, materiais de limpeza, cartão alimentação e até chips de internet na última etapa do projeto.

As medidas de democratização do acesso à internet foram essenciais em um momento que não permitia o contato presencial. Foram seis meses de internet gratuita. Gabriel Costa explica que essas ações permitiram que mães pudessem se cadastrar em benefícios governamentais, como o auxílio emergencial, além de facilitar o acesso dos filhos às aulas remotas. "As favelas vivem o que nós chamamos de isolamento digital. Então, isso permitiu que as mães também tivessem acesso a cursos de qualificação, dentre outras coisas", ressalta.

Onde encontrar a Cufa-ES

As lideranças da Cufa-ES estão distribuídas em vários locais do Espírito Santo. Só na Grande Vitória, são 22 bases de atendimento. Inicialmente, o planejamento era encerrar os projetos de combate à pandemia em 2021, mas as ações foram retomadas com a nova onda da doença no Estado.

No momento, a organização busca parcerias e doadores, já que as arrecadações diminuíram em relação ao ano passado. "Normalmente, as pessoas se cansam de doar. Vem aquela energia momentânea, só que a pandemia foi se estendendo e, dificilmente, tem uma continuação de quem já doou. Além disso, o preço dos alimentos aumentou muito, o que dificulta também", explica.

A pandemia cansa, mas as pessoas continuam sentindo fome. Por isso, o presidente regional ressalta a importância da mobilização coletiva dos capixabas. "O morador da favela e da periferia é quem mantém os serviços essenciais funcionando. São pessoas que entregaram tudo durante muito tempo, dando a própria força de trabalho. Agora é hora de parte disso retornar para eles", convoca.

Como doar

As doações para a Cufa-ES podem ser feitas a qualquer momento. Os interessados devem entrar em contato por telefone e pelas redes sociais do projeto.

Telefones de contato:

(27) 99805-1193 (Gabriel Costa)
(27) 99688-7421 (Lisandra Félix)

Instagram: @cufa.es
Facebook: Cufa ES

Como pedir ajuda

Para solicitar doações, os capixabas podem entrar em contato com a Cufa-ES pelas redes sociais da organização. Uma equipe de triagem faz o controle de todos os pedidos.

Veja mais notícias sobre Direitos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 19 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/