Quinta, 18 Agosto 2022

DataSenado: população não vê jovens negros como maiores vítimas da violência

Uma pesquisa realizada pelo DataSenado constatou que embora dados do Ministério da Saúde atestem que os jovens negros são principais vítimas de violência no País, a população brasileira tende a achar que a violência atinge jovens brancos e negros na mesma proporção. A pesquisa foi feita entre 1 e 11 de outubro deste ano, com 1.234 pessoas, de 123 municípios do País, incluindo Vitória. 

 
O levantamento foi divulgado nessa quarta-feira (7), durante uma solenidade realizada no Senado, em que a Casa aderiu à campanha "Igualdade Racial é pra Valer", da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir).
 
A maior parte dos entrevistados na pesquisa (62,3%) respondeu que a violência entre jovens negros e brancos ocorre na mesma proporção, enquanto 31,4%  que a violência ocorre com mais intensidade entre jovens negros do que brancos. 
 
Já as estatísticas oficiais revelam uma realidade que não se assemelha ao resultado da pesquisa. Segundo o Ministério da Saúde, 53% dos homicídios vitimam pessoas jovens, dos quais 75% são negros, de baixa escolaridade. A maioria é do sexo masculino. 
 
O coordenador do Fórum Estadual da Juventude Negra (Fejunes), Luiz Inácio Silva da Rocha, informa que dados preliminares de um levantamento que está sendo produzido pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi) mostra que um dos grandes desafios para essa mudança de mentalidade está na forma de abordagem da mídia sobre o extermínio de jovens negros que ocorre atualmente. 
 
Ele conta que o noticiário não faz a ligação entre a morte violenta do jovem negro e o que provoca essa morte. A falta desse resgate acaba por incutir na sociedade a ideia que a vida desses jovens é menos valorosa, que são historicamente cidadãos de segunda categoria. 
 
Luiz Inácio alerta também que as políticas públicas implementadas não levam em conta esse recorte racial. Ele lamenta a ideia de que a violência contra jovens negros resta justificada pela perpetuação da imagem de que essa parcela da população representa a criminalidade. 
 
A pesquisa do DataSenado ratifica a ideia do coordenador do Fejunes. Para evitar que as respostas a perguntas genéricas distorcessem uma percepção mais apurada do que os entrevistados pensam sobre a questão da violência, os entrevistadores do Senado apresentaram perguntas específicas. Uma delas era “homicídio é a principal causa de morte dos jovens negros”, e diante dessa indagação, 56,6% dos entrevistados foram favoráveis. 
 
Diante da indagação “a morte violenta de um jovem negro choca menos a sociedade do que a morte violenta de um jovem branco”, 55,8% dos entrevistados concordaram com a afirmação. Além disso, para 55,1% é correto afirmar que “a principal causa de homicídios de jovens negros é o racismo”.

Veja mais notícias sobre Direitos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 18 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/