Segunda, 15 Agosto 2022

Mulheres de Cariacica realizam ato silencioso por política públicas

ato_mulheres_cariacica_capa_divulgacao Divulgação

Pelo segundo ano consecutivo, o Fórum de Mulheres de Cariacica realizará ação alusiva ao Dia Internacional da Mulher. Convocado como um ato silencioso, que trará simbologias e manifestos diversos, a ação acontece no dia 7 de março, a partir das 7h, no Trevo de Alto Lage, próximo à Prefeitura Municipal de Cariacica (PMC), sobre a qual o fórum pede ações e políticas públicas para as mulheres.

No chamado para o ato, o Fórum conclama à "luta contra todos os tipos de violência e preconceitos contra as mulheres e por conquistas de direitos e de políticas públicas que garantam total condições de exercer sua função materna, suas necessidades culturais, sociais e proteção individual".

Entre as reivindicações estão políticas que favoreçam: combate à violência doméstica e ao feminicídio; garantia de creches em tempo integral; atendimento psicossocial considerando especificidades de raça, gênero, orientação sexual, faixa etária e deficiência; melhorias para a saúde das mulheres negras; igualdade salarial; assistência às mulheres em situação pós-prisional; acessibilidade urbana, eliminando as barreiras que impeçam o direito de ir e vir das pessoas com deficiência; justiça, com punição para os agressores ou assassinos; eleição de mulheres vereadoras; emprego, moradia, cultura, esporte e lazer.

Registro do primeiro ato do Fórum de Mulheres de Cariacica, em 2021, próximo à Segunda Ponte. Foto: Divulgação

Embora a pauta seja ampla e esteja sintonizada com diversas lutas das mulheres no Brasil e no mundo, Lurdinha Vasconcellos, integrante do Fórum de Mulheres de Cariacica e da organização do ato, ressalta que o grupo quer ver essas mudança acontecerem também a nível local. "Cariacica tem uma realidade que se diferencia econômica, social e culturalmente. Temos grande população negra, grandes bairros formados a partir de ocupações, questões de saúde mental, de violência e de falta de atendimento de saúde mental", aponta.

O Fórum identificou três feminicídios no município em 2021, porém com informações de reportagens, acredita que o número possa ter sido de no mínimo 10. "Há muitos motivos para as mulheres reagirem e irem à luta", destaca Lurdinha.

Surgido no início de 2021, o Fórum de Mulheres de Cariacica realizou seu primeiro ato no 8 de março do ano passado. Nos meses seguintes, foram realizadas uma série de atividades, desde ações nos bairros, reuniões e manifestações públicas, como uma nota de repúdio contra a violência contra as mulheres.

Uma carta por políticas públicas foi protocolada ao prefeito Euclério Sampaio (União Brasil) no último 8 de março, porém, quase um ano depois, o Fórum ainda não teve retorno sobre as reivindicações. Na próxima segunda-feira, durante a manifestação, a entidade apresentará uma nova carta de reivindicações ao poder público.

Ato estadual acontece em Vitória

A razão para realizar a ação municipal deste ano na véspera do Dia Internacional da Mulher é para que as mulheres de Cariacica somem no dia seguinte, 8 de março, no ato estadual "Pela Vida Das Mulheres: Bolsonaro Nunca Mais", a partir das 14h30 na Praça Costa Pereira.

Organizado pelo Fórum de Mulheres do Espírito Santo (Fomes) com apoio de diversas entidades sociais, o ato traz como lemas "Por um Brasil feminista, sem fome, sem desemprego, sem machismo, sem racismo e sem violências!" e "Comida no prato, vacina no braço, saúde e educação!". A recomendação é utilização de máscaras, manutenção de distanciamento e higienização constante das mãos.

Durante a ação no 8 de março, será feita coleta de doações de absorventes como parte da luta por dignidade menstrual. "Dificuldades financeiras para comprar absorventes, falta de informação, bem como de estruturas sanitárias, e tabu sobre o assunto, estão entre as causas do problema reconhecido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e batizado de 'pobreza menstrual. Ela faz com que pessoas que menstruam recorram a panos velhos, papel higiênico, miolo de pão e, até mesmo, plástico, o que pode acarretar sequelas graves à sua saúde. Todas as pessoas que menstruam têm direito à dignidade menstrual, o que significa ter acesso a educação menstrual e condições de higiene adequadas", diz a campanha realizada pelo Fomes, que reivindica distribuição gratuita de absorventes para pessoas que menstruam e se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Além dos atos em Vitória e Cariacica, o mês de março vai incluir ações das mulheres em São Mateus (4), Guarapari (6), Castelo Branco, Cariacica (12), Cristóvão Colombo, Vila Velha (25) e outras atividades realizadas de modo online. Mais informações na página 8M Espírito Santo.

Veja mais notícias sobre Direitos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 16 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/