Dólar Comercial: R$ 5,56 • Euro: R$ 6,58
Sábado, 24 Outubro 2020

​Observatório vai monitorar Covid-19 nas favelas capixabas

territorio_do_bem_atelie_de_ideias Ateliê de Ideias

Um dos projetos aprovados no edital emergencial da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) com foco no combate ao novo coronavírus (Covid-19), o Observatório Capixaba da Covid-19 nas Favelas (Ocofa) realiza seu evento de lançamento público nesta sexta-feira (26), às 19h, em debate online.

O evento terá como tema "Pandemia: impactos nas favelas e na população negra", com presença do professor de Enfermagem da Ufes Thiago Prado, do mestrando em Ciências Sociais; João Victor Santos, integrante do Coletivo Negrada e presidente do Fórum Estadual da Juventude Negra (Fejunes); e, Crislayne Zeferina, atuante nas comunidades da região do Território do Bem, em Vitória. A transmissão será feita no seguinte link: https://ufes.webex.com/meet/thiago.prado.

O Observatório tem como objetivo produzir dados sobre os impactos sociais do novo coronavírus nas favelas e a população negra no Espírito Santo. Para isso, conta com uma equipe interdisciplinar, com especialistas de várias áreas como epidemiologia, ciências sociais, serviço social, geografia, estatística, comunicação e design, formada em sua maioria por pessoas negras e oriundas das favelas, incluindo professores, estudantes e servidores da Ufes e também colaboradores externos.

"Acreditamos na pesquisa engajada para contribuir para o bem viver da população negra e favelada", informa a apresentação do Ocofa. "Queremos além de entender os impactos, contribuir com a construção de caminhos para enfrentar o racismo".

Segundo Thiago, a proposta do Observatório permite diferentes olhares críticos sobre os dados a partir de várias áreas de conhecimento, o que possibilita um melhor entendimento da amplitude do problema nas periferias, favelas e para a população negra do Espírito Santo neste momento excepcional. "É preciso um trabalho ágil, para produzir tanto informações para difundir pela internet como estudos científicos", aponta o professor dada a urgência da questão, já que estão no meio da crise de saúde com fortes impactos sociais e econômicos decorrentes dos efeitos da pandemia.

Em seu primeiro material de divulgação, o Ocofa apontou que no Espírito Santo, a cada 60 pessoas que morreram em decorrência da Covid-19, 31 eram negras (pretos e pardos), 21 brancas e nove de outras etnias (amarelas e indígenas). Outras informações e levantamentos serão divulgados na página do Observatório no Instagram e em outras redes.

Veja mais notícias sobre Direitos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 24 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection