Segunda, 15 Agosto 2022

​Portuários protestam contra privatização no dia de audiência pública da Codesa

Ernani_Pereira_Pinto_suport_redessociais Redes Sociais

No dia em que será realizada uma audiência pública para a privatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), o Sindicato Unificado da Orla Portuária (Suport-ES) promove nesta terça-feira (6), a partir das 7 horas, em frente ao portão da empresa, manifestação contrária ao projeto, mantendo o mesmo posicionamento adotado desde que o processo foi anunciado, em 2019.

"Essa é mais uma iniciativa irresponsável do governo federal para fazer o Espírito Santo refém de estados vizinhos, provocando desemprego", comenta Ernani Pereira Pinto, presidente do Suport-ES. Na convocação, os portuários destacam: "Vamos mostrar nossa indignação com faixas e cartazes contra esse plano do governo federal de entreguismo do patrimônio público ao capital privado".

A audiência pública, na forma virtual, será realizada a partir das 9 horas, pelo Banco Nacional de de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com "objetivo de prestar informações ao público, bem como receber sugestões e contribuições ao referido processo de desestatização, cuja modalidade será a alienação da totalidade das ações de titularidade da União e de emissão da Codesa e, ato contínuo, a celebração de Contrato de Concessão entre a União e a Codesa para a exploração dos Portos Organizados de Vitória e Barra do Riacho", convoca o banco. O evento é aberto a qualquer pessoa interessada, que poderá se manifestar por escrito ou oralmente, acessando este link.

Ernani Pereira Pinto ressalta que a categoria de trabalhadores na área portuária já realizou vários manifestos com sugestões, que foram encaminhados à classe política, que, para ele, "está de costas para a questão, que, se concretizada, vai impactar a cadeia logística dos portos de Vitória e Capuaba, em Vila Velha, com transferência de cargas para o porto privado de Açu, no Rio de Janeiro".

O tema não vem despertando interesse de políticos "nos três níveis", diz Ernani Pereira Pinto. Enquanto o governo do Estado, a Assembleia Legislativa e a bancada capixaba no Congresso Nacional permanecem em silêncio em relação ao processo de privatização dos portos de Vitória e de Barra do Riacho (Aracruz, região norte) e da Companhia Docas do Estado (Codesa), entidades representativas de empresários e trabalhadores do setor se mostram contrários e pedem debate em torno do assunto.

Em manifesto divulgado no último dia 30, o Fórum Permanente Portuário questiona a garantia de investimentos e o papel dos portos como "instrumento de desenvolvimento econômico e regional". Entendem que, da forma como é conduzido pelo governo federal, o processo é prejudicial à economia do Estado, atingindo empresas de pequeno porte e trabalhadores.

Veja mais notícias sobre Economia.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 16 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/