Domingo, 26 Junho 2022

Câmara de Vila Velha aprova proposta que achata salários dos professores do município

A Câmara de Vila Velha aprovou, em sessão extraordinária realizada na manhã desta quinta-feira (9), o projeto encaminhado pelo prefeito Rodney Miranda (DEM) que retira dos professores a gratificação de 10% do salário, paga aos alfabetizadores, e de 15% àqueles que atuam na Região 5, conhecida como Grande Terra Vermelha.



Os professores compareceram em peso à sessão e protestaram contra a proposta. A maioria dos vereadores, no entanto, aprovou. A matéria retira as gratificações dos professores com a contrapartida de um reajuste de 6,53% para todo o magistério.



Para o vereador Zé Nilton (PT), que votou contra a proposta do prefeito, a administração pública deveria avançar no debate, para não dar ainda mais prejuízo à categoria. Ele salienta que os professores de Vila Velha já têm um dos menores salários da Grande Vitória.



Além disso, o vereador acrescentou, a medida vai ser ruim em médio prazo e o município pode perder com isso, já que os profissionais vão acabar não indo para Vila Velha. “O município teve um momento financeiro difícil, mas em educação temos de avançar”, completou ele.



Além de Zé Nilton, votaram contra a proposta Belarmino Belo (SD), Duda da Barra (PP), Ricardo Chiabai (PPS) e Valter Rocon (PDT).



Depois da sessão, os professores que lotavam as galerias saíram em passeata pelas ruas da Prainha e terminaram o protesto em frente à Promotoria de Justiça de Vila Velha, no Centro do município.



De acordo com o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (Sindiupes), Carlos Duarte, que também é professor do magistério de Vila Velha, o que ocorreu na manhã desta quinta-feira na Câmara foi uma “carnificina” contra a educação no município.



Ele contou que os professores que atuam na alfabetização – no 1º, 2º e 3º ano do ensino fundamental – em escolas da Região 5 acabaram de perder 25% do salário, para ter 6,53% de reajuste, o que é uma contradição.



Duarte ressalta que o quadro pode ser ainda pior, já que a medida entra em vigor no dia 30 de agosto, ou seja, os professores terão uma redução drástica nos vencimentos no meio do ano letivo. “Poderiam ter avisado agora e cortado as gratificações em janeiro de 2016 para o professor se preparar”, diz ele.



O professor aponta que os educadores podem perder no mínimo R$ 300, e no máximo R$ 1 mil dos salários, já que têm profissionais que ocupam duas cadeiras no município.



Greve



O magistério de Vila Velha vai entrar em greve em 21 de julho, justamente por considerar que o reajuste de 6,53% não representa ganho real para a categoria. O reajuste seria pago nos meses de agosto, setembro e outubro deste ano, mas foi rejeitado pelos professores, que consideraram que o reajuste não repõe as perdas salariais.



A categoria pleiteia reajuste salarial de 13,99%, que contempla a reposição das perdas inflacionárias; e tíquete-alimentação.



O salário dos professores de Vila Velha é um dos piores da Grande Vitória e a categoria não tem reajuste há três anos. O índice de reajuste pedido pelos professores contempla somente o período de administração do prefeito Rodney Miranda. As perdas históricas, aquelas que não foram corrigidas ao longo dos anos, já chegam a 40%, desde 1994.



Além do baixo salário pago aos professores, também foram feitos cortes significativos nos planos de aplicação das escolas, com redução de verbas e desvalorização dos trabalhadores. Os professores querem a nomeação dos aprovados no concurso 002/12 e o retorno da gestão democrática, em que a comunidade escolhe diretores e coordenadores das escolas.

Veja mais notícias sobre Educação.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 26 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/