Dólar Comercial: R$ 5,76 • Euro: R$ 6,79
Sábado, 10 Abril 2021

Professores fazem abaixo-assinado contra redução de carga horária no Ensino Médio

sedu_fachada_Secom Secom

O Fórum dos Professores de Filosofia e Sociologia do Espírito Santo (FOPFS-ES) divulga um abaixo-assinado contra a redução da carga horária de Sociologia, Filosofia, Educação Física e Artes na rede estadual de ensino. A redução foi anunciada pela Secretaria Estadual de Educação (Sedu), na Portaria 150-R, divulgada em 11 de dezembro. A mudança passa a vigorar a partir do ano letivo de 2021. 

Os professores planejam uma manifestação, que ainda não tem data, e aproveitarão a ocasião para entregar ao secretário de Educação, Vitor de Angelo, o abaixo-assinado e um documento. Para os docentes, além de afetar diretamente suas vidas funcionais, a redução de carga horária dessas disciplinas implica em um esvaziamento da formação acadêmica e humana dos estudantes.

As mudanças na organização curricular têm base na Reforma do Ensino Médio, aprovada em 2017, no Governo Temer (MDB). As gestões estaduais, porém, têm autonomia para fazer adequações, e não houve diálogo com a comunidade escolar para a tomada de decisão, como critica o Educação Pela Base, um coletivo de professores. Integrante do grupo, o professor Antônio Barbosa explica que a Reforma do Ensino Médio prevê cinco itinerários formativos. 

Os itinerários contemplam as áreas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Linguagens e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais Aplicadas; e Formação Técnica e Profissional. Nesse método, os alunos passam a ter disciplinas em comum, podendo, posteriormente, se aprofundar naquelas que forem de sua escolha. 

No caso do Espírito Santo, algumas opções foram incorporadas das escolas em tempo integral, como as de Projeto de Vida e Estudo Orientado. "No terceiro ano tiraram Sociologia e Filosofia e colocaram duas de Redação. Redação é importante? É. Mas para fazer uma, não é preciso somente saber qual é a estrutura de um texto. Tem que ter argumento, e isso é possibilitado, por exemplo, pelos estudos da Sociologia e da Filosofia", defende Antônio.

O docente explica que Projeto de Vida é uma disciplina prevista na Reforma do Ensino Médio, mas não é obrigatória. "Para que duas aulas de Projeto de Vida? Tinha possibilidade de tirar Projeto de Vida e colocar Redação", destaca.

Além disso, o Educação Pela Base acredita que a Sedu deveria ter dialogado com a comunidade escolar para juntos encontrarem as melhores alternativas para professores e estudantes. 

A falta de diálogo também é uma das críticas feitas pelo deputado estadual Sergio Majeski (PSB). "Deixaram para anunciar isso em dezembro, às vésperas do novo ano letivo. Por que não foi trabalhando desde o início do ano as mudanças para as pessoas se adaptarem? É proposital ou falta de planejamento?", questiona o parlamentar.

Antônio salienta que os professores de Artes e Educação Física também estão sendo prejudicados, mas poderão complementar a carga horária no ensino fundamental, ao contrário dos docentes de Sociologia e Filosofia, disciplinas do Ensino Médio.

Veja mais notícias sobre Educação.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sábado, 10 Abril 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/

No Internet Connection