Quinta, 18 Agosto 2022

ArcelorMittal é acusada de mentir e pode ser expulsa da França

Não é só no Brasil que a ArcelorMittal, maior siderúrgica do mundo, recebe duras críticas. Uma dura declaração do ministro da Recuperação Industrial da França, em que acusa a empresa de mentir e afirma que a quer longe de seu País, gerou uma reunião entre o principal executivo do grupo, Lakshmi Mittal, e o presidente francês, François Hollande.

 
O motivo do pronunciamento foi o plano da empresa de fechar dois altos-fornos que funcionam no país. Segundo o jornal Valor Econômico, autoridades francesas confirmam que a ArcelorMittal não cumpriu promessas relativas às duas unidades, construídas em 2006 e 2009 – o que é obviamente negado pela empresa. Em outra entrevista o ministro afirmou que não quer a ArcelorMittal na França “porque ela não respeita” o País.
 
Críticas duras em relação à empresa também são ouvidas no Espírito Santo – e com bastante frequência. Aqui, a ArcelorMittal é acusada de racismo ambiental por não utilizar a mesma tecnologia que usa em outros países, o que gerou, inclusive, uma Ação Civil Pública (ACP) contra a empresa.
 
A Justiça determinou que a Arcelor instalasse telas que funcionam como barreiras de vento para conter parte da emissão de poeira e gases, as Wind Fences. Porém, mesmo com as críticas e com a determinação judicial, a empresa insiste em afirmar que o seu “cinturão verde”, de eucaliptos, conseguiria minimizar em 75% suas emissões no ar da Grande Vitória. Que o digam os habitantes da Capital.

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 18 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/