Sexta, 28 Janeiro 2022

Capixabas querem saber se Vale é a principal responsável por poluição do ar na Ilha do Boi

As entidades Fala Vitória e Pó Preto Vix, representados por Dárcio Bracarence e Eraylton Moreschi Junior, protocolaram no Ministério Público Estadual (MPES) um pedido de esclarecimento e providências dos órgãos responsáveis sobre as informações divulgadas pela ArcelorMittal, de que apenas 5% da poeira sedimentada que chega ao bairro Ilha do Boi, em Vitória, são de sua responsabilidade. 



A siderúrgica afirma ter emitido, em 2010 e 2011, somente pouco mais de 4% dos poluentes registrados na Ilha do Boi. O que significaria, segundo a Arcelor, participação percentual da ordem de 5%.
 
Segundo as entidades, é necessário que o MPES, como curador do meio ambiente e dos demais interesses difusos e coletivos da sociedade, acione o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), para que confirme se as informações da Arcelor estão ou não em conformidade com os dados de acompanhamento do órgão. Elas cobram uma resposta do Ministério Público, judicial ou extra-judicial, para determinar ao Iema e demais órgãos envolvidos na questão que esclareçam o caso.
 
“Pedimos providências de maneira prioritária e urgente, para criação de legislação e padrão de partículas sedimentáveis (PS), independentemente da conclusão do estudo de DNA das partículas sedimentáveis no Espírito Santo, e aplicação das penalidades legais aos infratores responsáveis pelo descumprimento da legislação e padrão”. 
 
A mesma cobrança foi feita sobre a afirmação da Vale de que reduziu 80% de suas emissões. 
 
As entidades também aguardam respostas ao ofício da sociedade civil organizada que diz respeito à divulgação da análise qualitativa e quantitativa sobre as emissões e dos dados da medição mensal da poeira, pelo Iema e pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Seama). 
 
Respira Vitória
 
O Grupo de Trabalho Interinstitucional – GTI Respira Vitória, que pretende debater novos padrões para as emissões atmosféricas na cidade de Vitória, irá se reunir no próximo dia 3 de setembro, às 14h, no plenário da Câmara Municipal, para aprovar seu Regimento Interno e avaliar a participação de seis  entidades da sociedade civil no GTI. O grupo está sob a coordenação da representação do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos - IEMA (Alexsander Barros da Silveira) e da Secretaria de Meio Ambiente de Vitória - Semmam (Tarcisio José Foguer). 
 
Segundo as entidades, as informações cobradas são essenciais  para iniciar o debate sobre poluição do ar na Capital do Estado. 

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 28 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/