Quinta, 20 Janeiro 2022

Governador promete plano de neutralidade de carbono no Estado até 2022

casagrande_cop26_1_giovanipagotto_governoES Giovani Pagotto/Governo ES
Giovani Pagotto/Governo ES
"Como nós vamos chegar em 2050, no Espírito Santo, com neutralidade de carbono? (...) Estamos elaborando um plano agora, para que a gente possa incentivar a energia renovável, aumentar o reflorestamento e atuar para ter mais eficiência energética", ressaltou o governador Renato Casagrande (PSB), em pronunciamento virtual feito na tarde desta quarta-feira (3) da cidade de Glasgow, na Escócia, onde participa da 26° Conferência das Nações Unidas para a Mudança Climática (COP-26).

O governador enfatizou a importância de os estados brasileiros terem seu plano estadual e prometeu a construção de um no Espírito Santo até 2022, com uma prestação de contas ano após ano. "Eu, como presidente do consórcio [Brasil Verde], vou trabalhar para que todos os estados tenham esse tipo de compromisso, de elaboração desse plano", garantiu.

O alcance da neutralidade de carbono é um dos principais temas da COP-26. "É você chegar em 2050 e emitir carbono na mesma quantidade que você sequestra carbono, com floresta por exemplo, com redução de desmatamento. A grande contribuição do Brasil neste momento até 2030 é zerar o desmatamento. É uma contribuição que o Brasil pode dar ao Brasil mesmo e à própria humanidade", apontou o governador.

Nesta quinta-feira (4), Casagrande participará de uma reunião sobre  assunto com o príncipe Charles, herdeiro do trono da Inglaterra. O encontro integra a agenda da Conferência das Nações Unidas, que começou nessa segunda-feira (1). O líder capixaba promete discutir as metas para neutralidade do carbono, uma das pautas do Consórcio Brasil Verde, criado recentemente para discutir as mudanças climáticas entre os governadores.

Na reunião com o herdeiro britânico, Casagrande poderá falar por até 10 minutos. "O príncipe Charles tem uma fundação que trabalha com esse objetivo, então ele me convidou e vou participar como governador do Espírito Santo, mas também como presidente do consórcio", explicou.

Casagrande foi convidado juntamente com outros governadores que assumiram o compromisso de neutralidade do carbono até 2050. "Falarei pelos governadores e terá empresários, outras lideranças do Brasil, para que a gente possa também apresentar os nossos projetos e o que estamos fazendo ao príncipe Charles, que é um militante dessa área das mudanças climáticas", ressaltou.

A reunião com o príncipe Charles também marcará o lançamento oficial do Consórcio Brasil Verde. Para o Governo do Estado, o encontro é o início de uma cooperação mais ampla entre a Sustainable Markets Initiative (SMI), entidade criada pelo príncipe Charles, e o Brasil. O herdeiro enviou uma carta ao governador Renato Casagrande destacando a importância das discussões em torno de uma economia sustentável.

"Na corrida para a COP-26, observei a notável liderança dos estados brasileiros, cidades e empresas que se inscreveram na campanha Corrida para Zero (Race to Zero). Ao mesmo tempo, os investidores em todo o mundo estão cada vez mais se voltando para investimentos sustentáveis, direcionando o financiamento privado de forma a permitir a transição para um sistema de baixo carbono. Isso não é bom apenas para o planeta, é um bom negócio. Já se foram os dias em que se fazia um investimento sustentável significava assumir um risco financeiro – o inverso agora é frequentemente verdadeiro", diz um dos trechos da carta.

O governador também se reunirá com o adjunto do secretário especial de mudanças climáticas dos Estados Unidos, John Kerry, e com o ministro de Meio Ambiente da China. "Nós não temos mais tempo. Nosso tempo é agora. Não podemos fazer no futuro. O que a gente tem que fazer é agora, não é amanhã", convocou.

Na comitiva capixaba da COP-26, além do governador, estão o secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Fabricio Machado, e a diretora presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), Cristina Engel. A agenda se encerra nesta quinta-feira.

Na segunda, primeiro dia da conferência, o governador capixaba afirmou que o Brasil pode zerar o desmatamento até 2030. "Eu ajudei na construção de uma proposta que a sociedade civil está debatendo na Conferência, que a gente possa ser mais audacioso, o Brasil zerar o desmatamento até 2030, que com certeza se tiver decisão política, consegue. Não é decisão política só do governo federal, é também dos estados, governadores, prefeitos, deputados, sociedade brasileira. Se a gente conseguir zerar o desmatamento, já permite que o Brasil reduza até 2030 mais de 60% de suas emissões", enfatizou.

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 20 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/