Sábado, 25 Junho 2022

Entidades não confiam em monitoramento do Iema

As entidades que acompanham o problema da poluição do ar no Estado não acreditam mais no monitoramento atmosférico feito pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), na Ponta de Tubarão, em Vitória. Para elas, o órgão, que realiza o monitoramento desde 2002, afirma que as emissões estão controladas, deixando a desejar no controle e fiscalização do carregamento de navios na área. 

 
Uma das reclamações foi feita pela Associação dos Amigos da Praia de Camburi (AAPC), que afirmou não acreditar ou confiar no órgão. Segundo a entidade, fotos feitas no último dia 15 demonstram de forma clara o escape de material sedimentado durante o carregamento de navios. “A fiscalização do Iema constatou isso? O Iema tem fiscalização 24 horas por dia? Quem registrou foi o cidadão! O cidadão fazendo o dever do órgão ambiental”, enfatizou a AAPC
 
Apoiado pelo movimento Pó Preto, a cobrança é para que o órgão promova o monitoramento contínuo da Ponta de Tubarão, visto que o escape vem sendo ignorado pelo órgão. Diante dos novos dados divulgados pelo Iema sobre o aumento de 46% do pó preto que chega à região da Ilha do Boi, a entidade cobra a não concessão da Licença de Operação (LO) à Vale, no projeto da 8º usina .
 
O movimento Pó Preto afirma que mesmo com as medidas consideradas eficazes pelo Iema para conter a emissão atmosférica produzida pela Vale, o material particulado continua chegando às casas do bairro, como apontou o monitoramento realizado no Hotel Senac. 
 
Os frequentadores da Praia de Camburi também fazem coro à insatisfação com a fiscalização do órgão. Segundo eles, enquanto o órgão afirma que a areia preta da região tem origem monazítica, nada é falado sobre o escape de partículas sedimentáveis que chega à casa dos capixabas. Eles criticam que o órgão informou – após inúmeras cobranças – o dado sobre as imissões (material particulado que se deposita em locais), porém, os que avaliam se as emissões (poluição atmosférica produzidas) aumentaram, ainda não foi divulgado pelo Iema.

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 26 Junho 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/