Terça, 09 Agosto 2022

Servidores do Incaper mantêm estado de greve por Plano de Cargos e Salários

mesa_deputados_audiencia_assin_lucas_s_costa_ales Lucas S. Costa/Ales

Os trabalhadores do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) aprovaram a manutenção do estado de greve iniciado em setembro de 2021, em assembleia geral extraordinária realizada na tarde desta terça-feira (22), no Centro de Treinamento Dom João Batista, em Vitória.

Trabalhadores mantêm estado de greve em assembleia geral. Foto: Redes sociais

A decisão compõe uma estratégia de luta voltada a reverter o sucateamento do órgão capixaba, que, por sua vez, atende a um movimento político nacional de enfraquecimento da assistência técnica e da pesquisa agropecuária voltada à agricultura familiar. 

A assembleia geral também encaminhou duas outras propostas principais: a elaboração de um documento reafirmando as reivindicações da categoria já feitas ao governo do Estado, que será entregue à presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, deputada Janete de Sá (PMN); e a realização de diversas ações de mobilização social no interior do Estado e na Grande Vitória. 

"Permanece o estado de greve. E essas ações de mobilização podem incluir paralisações pontuais dos trabalhos", afirmou o presidente da Associação dos Servidores do Incaper (Assin), Luiz Carlos Leonardi Bricalli.

Lucas S. Costa/Ales

O pedido do documento foi feito pela parlamentar durante audiência pública realizada pela manhã na casa legislativa, onde extensionistas e pesquisadores de norte a sul do Espírito Santo lotaram as galerias do plenário Dirceu Cardoso. "A categoria está unida. Fizemos um esforço e servidores vieram em grande número. Estamos unidos para evitar a situação de sucateamento do órgão", conclamou.

Lucas S. Costa/Ales

O presidente da Assin explica que o documento detalhará as reivindicações dos trabalhadores, para que os deputados as defendam frente à gestão de Renato Casagrande (PSB). Os principais pontos, elenca, serão: a rejeição da proposta de reestruturação de carreiras feita pelo governo; a proposta de Plano de Cargos e Salários elaborada pelos trabalhadores, que já está na mesa da Secretaria de Estado de Gestão de Pessoas e Recursos Humanos (Seger); e o pedido para que o concurso público anunciado pelo governo somente seja realizado após a reestruturação do órgão e solução dos problemas que já existem. 

Na Assembleia Legislativa, Bricalli ressaltou que o sucateamento do Incaper, assim como em outros órgãos semelhantes no país, acontece em nível nacional, estadual e interno. 

"No cenário nacional é onde está pior", salientou, referindo-se aos cortes de orçamento para a extensão rural e a pesquisa e à extinção do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)". A medida, sublinhou, "nos deixou órfão. Porque a gente entende que o governo federal serve pra pelo menos duas coisas: aportar recursos e direcionar. Então hoje não temos recursos e nem direção do governo federal, no que diz respeito à Ater".

Em nível estadual, destaca-se a defasagem dos salários. "Estamos entre os piores [salários], fiz uma consulta com as outras federações, estamos lá embaixo, entre os piores salários do Brasil", ressaltou o presidente da Assin. 

No nível interno, chama atenção as más condições de trabalho definidas pela gestão do Incaper. "Fica impossível fazer extensão rural com o valor de R$ 200 de combustível por mês, por carro, isso não abastece um tanque de nenhum carro hoje. E como cobrar resultados, trabalhos de extensão rural nos municípios? Isso precisa ser resolvido", cobrou.

Sindipúblicos

Em sua fala, o presidente do Sindipúblicos, Iran Milanez, ressaltou que a defasagem salarial é "cruel" não apenas para os servidores do Incaper, mas para todo funcionalismo público. "Nós nos vemos passando por um processo de reajustes abaixo da inflação. Essa é uma política de austeridade fiscal nas costas do servidor público, que é quem traz o desenvolvimento e as políticas públicas para o Estado. Nosso sindicato fez um estudo, somente nos últimos 10 anos, acumulamos perdas inflacionárias que ultrapassam a casa de 60%", apontou.

Lucas S. Costa/Ales

Representando os agricultores familiares capixabas, o camponês Dorizete Cosme, membro da coordenação estadual do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), ressaltou a estreita relação entre o trabalho desenvolvido pelos servidores do Incaper e o fortalecimento da agroecologia.

Lucas S. Costa/Ales

"A produção agroecológica é viável economicamente, ambientalmente sustentável e socialmente justa. As pesquisas que o Incaper vem desenvolvendo são fundamentais para que esse outro modelo de produção possa de fato acontecer junto às famílias camponesas aqui do Espírito Santo".

Veja mais notícias sobre Meio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 09 Agosto 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/