Sexta, 01 Março 2024

Ufes recebe evento em comemoração ao Dia Nacional das RPPNs

jaguatirica_rppn_aguia_branca_leonardo_mercon_instituto_ultimos_refugios Leonardo Merçon/Instituto Últimos Refúgios
Jaguatirica flagrada na RPPN Águia Branca, em Vargem Alta. Foto: Leonardo Merçon/Instituto Últimos Refúgios

Mais 80% dos remanescentes florestais da Mata Atlântica, um dos biomas mais ameaçados do mundo e que concentra mais de 70% da população brasileira, estão em terras privadas, o que indica a importância estratégica das Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) para a conservação da biodiversidade, da integridade e dos serviços ecossistêmicos da Mata Atlântica.

O Espírito Santo está 100% inserido no bioma e é um dos estados que possui políticas públicas específicas de apoio às reservas privadas. São 58 RPPNs, distribuídas em 23 municípios. As histórias de três delas constam no livro "RPPNs para Sempre - "RPPNs para sempre: contos encantos e desafios", que será lançado na próxima terça-feira (31), na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), como parte das comemorações do Dia Nacional das RPPNs.

O evento acontece a partir das 9h no Auditório do Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN), no campus de Goiabeiras da Ufes. A proposta é do Instituto Ambiental Reluz (IAR), que organiza a atividade com o apoio da Confederação Nacional de RPPNs e de alguns parceiros locais, como o Programa de Extensão RELer&Fazer, do Núcleo de Estudos Letras Interartes, do Núcleo Acadêmico Poiein e de outras organizações sociais afins às políticas ambientais, culturais e educacionais.

As três reservas capixabas retratadas na obra são a "Pau-a-Pique", localizada em Santa Leopoldina, que desenvolve trabalhos de educação ambiental, meliponicultura e terapias naturais; a "Águia Branca", em Vargem Alta, que tem um desenvolve variadas atividades de educação ambiental, entre eles o Festival Nacional de Meio Ambiente do Espírito Santo; e a "Reluz", em Marechal Floriano, com suas ações e educação ambiental e Meliponário.

"O livro 'RPPNs para sempre: contos, encantos e desafios' pretende desvelar um pouco do universo dos RPPNistas, além de reconhecer o valor desses cidadãos e cidadãs que não medem esforços para tornar o mundo um lugar melhor", declara a escritora, poeta, arteterapeuta Renata Bomfim, gestora da RPPN Reluz e uma das organizadoras do evento.

A obra, descreve, possui 460 páginas e coloca em destaque histórias de criação, singularidades, belezas naturais e desafios enfrentados pelos RPPNistas no decorrer da gestão. São 58 relatos registrados em diferentes gêneros textuais, entre eles contos, poesias, ensaios e artigos.

Head de Sustentabilidade do Grupo Águia Branca, Adriana Denadai conta que o propósito de preservação fazia parte dos planos do Grupo Águia Branca desde quando a propriedade foi adquirida, em 2007. "Em 2017, decidimos firmar o compromisso perpétuo e voluntário para a preservação ambiental, por meio da criação da RPPN e, a partir disso, construir uma relação de conservação e preservação com a comunidade. E este é o trabalho que temos desenvolvido, com projetos de educação ambiental e culturais, programas de visitação e apoio a pesquisas científicas". A Reserva possui mais de 2 mil hectares e contribui para formar um corredor ecológico entre os Parques Estaduais do Forno Grande e Pedra Azul.

Entre as demais histórias contadas, está a da RPPN "Não Me Deixes", em Quixadá-CE, que remonta ao final do século XIX e pertenceu à escritora Rachel de Queiroz, bem como a da RPPN "Parque do Zizo", localizada em São Miguel Arcanjo-SP, criada para valorizar a memória e cuidar do legado do Zizo, Luiz Fogaça Balboni, líder revolucionário que, no ano de 1969, foi cruelmente abatido pelas forças da Ditadura.

"Os textos reunidos neste livro trazem os sonhos, as histórias, as conquistas e também os desafios e as angústias de pessoas que decidiram agir. Algumas baseadas no puro instinto, na mais genuína intuição sobre o quê e como fazer. Outras, pautadas por diagnósticos e análises bem fundamentadas e orientadas por metas previamente definidas em planos estratégicos. Mas, todas, sem exceção, motivadas por um aguçado senso de missão. São pessoas que arregaçaram as mangas e foram à luta. Que ousaram deixar posições confortáveis e situações de vida muitas vezes estáveis para se aventurar no mundo da conservação voluntária", declara o engenheiro Beto Mesquita, diretor de Florestas e Políticas Públicas na BVRio e prefaciador do livro.

Lançamento nacional

O livro foi idealizado e produzido por representantes de diferentes estados, entre eles o Instituto Ambiental Reluz. O lançamento acontecerá em vários estados da federação e a produção será distribuída gratuitamente, no formato e-book, no site do Instituto Ambiental Reluz (www.ambientalreluz.com.br) e da Confederação Nacional de RPPNs (www.rppn.org.br).

Agenda de mobilização

Renata explica que o evento na Ufes tem como tema a consciência ambiental e a Literatura, abordando a importância dos repertórios de leitura para o campo da "questão ambiental".

Um dos principais objetivos, ressalta, é provocar a comunidade acadêmica a conhecer o conceito, a legislação e, principalmente, a rede de entidades e organizações que se dispõem a conservar, preservar e valorizar os recursos naturais no Espírito Santo e no Brasil, recorrendo a estratégias diversas de ação cultural, educacional e social. "Além de novos lançamentos de livros e ocupações culturais, a expectativa é a de que sejam realizadas visitas de campo da comunidade acadêmica a unidades de RPPN distribuídas pelo estado e por todo o território nacional".

Serviço

Lançamento do Livro "RPPNs para sempre: contos encantos e desafios"

Data: 31/01/2023, às 09h

Local: Auditório do CCHN- no prédio IC 2/ UFES, campus de Goiabeiras.

Inscrições: As inscrições serão feitas no local e darão direito a uma declaração de participação nas mesas de discussão.

PROGRAMAÇÃO

● 08:30 - Acolhida e Credenciamento

○ Inscrições

○ Divulgação do link de acesso ao ebook.

● 09:00 - Saudação de abertura

○ Proferida pela Presidenta do Instituto Reluz, a poeta Renata Bomfim.

● 09:15 - Apresentação Cultural

○ Apresentação musical com Antônio de Pádua

○ Performance com a poeta e atriz Suely Bispo

● 09:35 - Sessão de Comunicações

○ "Literatura e Meio Ambiente", com a Profa. Dra. Ester Abreu Vieira de Oliveira, atual Presidenta da Academia Espírito-Santense de Letras

○ "Literatura infantil na Educação Ambiental", com o Prof. Dr. Francisco Aurélio Ribeiro

● 10:10 - Mesa redonda "Horizontes de retomada das políticas públicas: RPPNs, literatura e leitura":

○ Mediadora: Profa. Dra. Andressa Zoi Nathanailidis (NELI/UFES)

○ Profa. Dra. Renata Bomfim (Instituto Ambiental Reluz)

○ Doutorando e Articulador Comunitário Piatan Lube Moreira, do Programa Conscientiza Piapitangui

○ Prof. Dr. Orlando Lopes (RELer&Fazer/UFES e Núcleo Poiein/IFES/UFES)


Veja mais notícias sobre Meio Ambiente.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 01 Março 2024

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.seculodiario.com.br/